Rosa de Saron traz rock cristão para BH neste sábado

Banda defende mais conteúdo na cena do pop nacional

por e Ailton Magioli 19/12/2014 09:30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Rodolfo Magalhães/Divulgação
(foto: Rodolfo Magalhães/Divulgação)
O gosto pelo rock uniu a moçada que frequentava a Paróquia Nossa Senhora das Dores, no Bairro Cambuí, em Campinas (SP), nos anos 1980, onde nasceu a banda Rosa de Saron. “Nós nos conhecemos dentro do grupo de jovens, mas, na verdade, todos já gostavam de tocar e vinham da experiência com bandas de escola e participações em festivais”, recorda o baixista Rogério Feltrin, fundador da Rosa de Saron ao lado dos amigos Guilherme de Sá (voz), Eduardo Faro (guitarra) e Grevão (bateria).


Atração de amanhã no Chevrolet Hall, a Rosa de Saron – o nome é referência simbólica a Jesus Cristo, citação de uma expressão do Antigo Testamento – faz em BH o primeiro dos três últimos shows do ano. Os outros ocorrerão em Campinas, domingo, e Guarapuava (PR), na segunda-feira. Em cena estarão as canções do disco 'Cartas ao remetente', além de outras que integram o repertório de 12 lançamentos em 26 anos de carreira.

'Sem você', originalmente lançada em Casa dos espelhos (2005), é o grande hit do grupo. Em 2008, a banda estourou com o álbum Acústico ao vivo, que lhe rendeu CD e DVD de ouro. Mesmo neste ano atípico, com direito a Copa do Mundo e eleições, a Rosa de Saron informa ter feito 110 apresentações pelo Brasil afora. “Só em dezembro serão oito shows”, contabiliza Rogério Feltrin.

Em um cenário que define como monotemático – com a “pegação” dominando a música jovem –, o baixista cobra mais profundidade e conteúdo da cena pop-rock, na qual a Rosa de Saron se insere.

“Nosso público é o jovem que gosta de rock e participa dos movimentos de igreja”, explica, reforçando o interesse da Rosa de Saron por mensagens com conteúdo positivo.

INTERNET Carreira internacional nunca foi o foco da banda paulista, mas, com o advento da internet, o baixista acredita que a agenda pode mudar, pois o grupo recebe mensagens de vários países da América Latina. Algumas delas vieram da Guatemala, México, Paraguai, Uruguai e Argentina.

Madri, na Espanha, foi a primeira e única incursão internacional da banda, que participou da Jornada Mundial da Juventude, em 2011. A consequência natural foi a gravação de um EP com sete canções: quatro em castelhano e três em inglês.

Oriundo do movimento católico da Renovação Carismática, o grupo paulista já pensa em novo trabalho, cujo formato (CD ou DVD) será definido em breve.

ROSA DE SARON
Sábado, às 23h. Chevrolet Hall, Avenida Nossa Senhora do Carmo, 230, Savassi, (31) 3209-8989. Pista/ arquibancada/inteira: R$ 74 (3º lote), R$ 84 (4º lote) e R$ 94 (5º lote).

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA