Fernanda Takai faz duas apresentações em BH neste fim de semana

Nesta sexta, cantora lança o disco 'Na medida do impossível'. No sábado, ela é a convidada especial do show de Silva, no Granfinos

por Eduardo Tristão Girão 05/12/2014 09:14

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
André Hauck/Esp. EM/D. A Press
(foto: André Hauck/Esp. EM/D. A Press)
Será um fim de semana agitado para a cantora Fernanda Takai. Ela queria mesmo estrear o show de seu novo disco, 'Na medida do impossível', num sábado, mas pediu para agendar para hoje, pois amanhã será o dia em que sua filha, Nina, fará apresentação de sua atividade favorita, a dança. A mãe estará lá para assistir, é claro. Ao mesmo tempo, Silva, cantor capixaba da nova geração que é fã da artista e contou com ela numa faixa de seu último trabalho, Vista pro mar, estará em BH amanhã e quer que ela esteja no palco com ele.


Ficou assim: Fernanda e sua banda vão mostrar o novo repertório hoje, às 21h, no Grande Teatro do Sesc Palladium. 'Na medida do impossível' é o quarto trabalho da carreira solo da cantora, sendo o primeiro com composições autorais. Já na noite de amanhã, ela conferirá os dotes artísticos da filha e, sem perder tempo, partirá para o Granfinos, onde vai acertar com Silva os últimos detalhes de sua participação no show de lançamento do segundo álbum dele, já que querem cantar juntos uma música a mais.

Acompanhada por Lenis Rino (bateria), Larissa Horta (baixo), Tiago Borba (guitarra) e Lulu Camargo (teclado), Fernanda sairá do padrão no show de hoje: além de cantar, tocará violão. “Nos shows dos discos anteriores eu ficava só de intérprete. Como esse disco tem músicas minhas e os arranjos ficaram mais complexos, com violão e guitarra, decidi tocar também. É gostoso e é bom para eu voltar a estudar. Isso será legal para as meninas, que verão uma cantora tocando. Acho bonito ver as divas tocando”, diz ela.

Gravado no estúdio que tem em casa, em BH, o novo trabalho da artista teve produção do marido, o músico John Ulhoa, seu companheiro na banda Pato Fu (que acaba de lançar o disco 'Não pare pra pensar'). São 13 canções, cinco escritas por ela na companhia de parceiros como Marcelo Bonfá ('De um jeito ou de outro') e Pitty ('Seu tipo'), além de 'Doce companhia', versão em português que fez de 'Dulce compañia', de Julieta Venegas.

PESSOAL Além da aposta na faceta compositora, outra marca do álbum é a revelação de preferências pessoais de Fernanda por meio de regravações e convidados. São exemplos disso 'Como dizia o mestre' (Benito Di Paula), 'Amar como Jesus amou' (Padre Zezinho; com participação do padre cantor Fábio de Melo) e 'Mon amour, meu bem, ma femme' (Cleide; com Zélia Duncan a dividir o microfone). Há, ainda, 'Pra curar essa dor', versão que Ulhoa fez para o hit 'Heal the pain' (George Michael) e da qual participou Samuel Rosa.

“As pessoas saberão da minha queda pela Jovem Guarda e pelo Benito, do meu passado católico e de mais uma tentativa de diálogo com a América Latina com versão que fiz da música da Julieta. Tenho ambientes sonoros diferentes e não tenho medo de arriscar. Até com o Pato Fu, sempre trazemos um elemento surpresa. Exemplo é a parceria com a Pitty, cujo encontro aconteceu justamente pelas nossas diferenças. Ela também gosta de suavidade”, diz ela.

O disco novo será tocado quase todo, ficando apenas 'Depois que o sol brilhar de fora'. Além dessas, a cantora promete surpreender com canções como 'Nada para mim', que, de acordo com ela, o Pato Fu abandonou: “O John fez para mim e como é uma música muito calminha, foi ficando de fora. Ela ficou muito conhecida na voz da Ana Carolina, então, nem todo mundo sabe que é nossa”. Além dessa, o público ouvirá 'Fui eu', de Michael Sullivan (a cantora gravou versão com ele), e duas de 'Onde brilhem os olhos seus', disco em que gravou repertório de Nara Leão.

 

Silva

A canção Okinawa, escrita por Silva e seu irmão Lucas, foi a escolhida pelos dois para abrigar a participação especial de Fernanda Takai em Vista pro mar, trabalho que sucede Claridão, disco de estreia do cantor capixaba e que o projetou como jovem talento da cena brasileira. Silva, que apresenta as novas músicas na noite de amanhã, no Granfinos, antecipou sua vinda a Belo Horizonte para conseguir conferir o show de lançamento do álbum de Fernanda.

“Assisti a um clipe dele, Visita, e fiquei bem impressionada. Primeiro, por vir da escola erudita, tocar violino e piano desde novo. Aliás, ele continua novíssimo, poderia ser meu filho. Minha escola é totalmente diferente da dele. Toco de ouvido, venho do violão popular. E ele também trabalha com eletrônica. O texto da canção dele é muito bom, senti sintonia grande”, elogia a cantora. O cantor capixaba tem 25 anos.

O irmão dele, responsável pelas letras, disse a Fernanda que Onde brilhem os olhos seus foi um disco que ele ouviu com Silva sem parar. “Ficamos amigos. Eles vieram para cá, conheceram meu estúdio e me chamaram para gravar Okinawa, que foi a primeira música que escreveram para o disco Vista pro mar”, conta a artista.

'Vista pro mar'
Show de lançamento do disco de Silva. Participação especial de Fernanda Takai. Show de abertura com Tássia Holsback. Amanhã, a partir das 22h30. Granfinos, Avenida Brasil, 326, Santa Efigênia. Informações: (31) 3241-1482.
Ingressos: R$ 100 (inteira) e R$ 50 (meia-entrada social: mediante doação de pelo menos um 1l de água mineral ou 1kg de alimento), à venda na bilheteria do Granfinos (das 14h às 19h) e pelo site www.sympla.com.br/granfinos. Informações: (31) 3241-1482.

 

'NA MEDIDA DO IMPOSSÍVEL'
Show de lançamento do disco de Fernanda Takai. Sexta, às 21h. Grande Teatro do Sesc Palladium, Rua Rio de Janeiro, 1.046, Centro. Ingressos: R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia-entrada), à venda na bilheteria e pelo site. Informações: (31) 3270-8100.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA