Ivan Lins mostra seu rico cancioneiro com arranjos feitos para orquestra

Cantor se apresenta na Série Sinfônica Pop, ao lado da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais

por Ana Clara Brant 28/11/2014 09:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Leonardo Aversa/Divulgação
(foto: Leonardo Aversa/Divulgação)
A temporada 2014 da série Sinfônica Pop, projeto em que a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais convida artistas brasileiros de renome para apresentar o rico repertório da MPB, termina amanhã com um encontro inédito no Grande Teatro do Palácio das Artes. O cantor e compositor Ivans Lins é o convidado desta edição. Não é novidade para o carioca se apresentar com uma orquestra, aliás, um de seus trabalhos mais elogiados e que ganhou o Grammy Latino de melhor álbum de música popular brasileira é o CD gravado com a Metropole Orchestra, da Holanda. “Já dizia Guerra Peixe que não existe música clássica e música popular e, sim, música boa e música ruim. Portanto, esse tipo de encontro deveria ser muito mais natural do que na realidade é. Sendo bem conduzido, arranjado, com repertório de qualidade (e aqui o conceito de qualidade é bem mais amplo”, afirma.


Ivan Lins acrescenta que não daria para enumerar todas as ricas nuances, texturas e sonoridades que sempre irão produzir algo muito agradável e emotivo. Portanto, dentro desse contexto, ele tem feito concertos emocionantes. “Se o Brasil tivesse o número de orquestras que sua dimensão geográfica pede, este país seria menos violento e mais feliz”, frisa.

O repertório do show traz 15 canções que revisitam a trajetória musical do compositor, com arranjos compostos por Vince Mendonza, Fred Natalino, Nelson Ayres e Marcelo Ramos, regente titular da Sinfônica de Minas, como 'Começar de novo'; 'Dinorah, Dinorah'; 'Madalena'; 'Lembra de mim'; 'Novo tempo'; e 'Somos todos iguais nesta noite', entre outros sucessos que fazem parte do imaginário do público brasileiro. O set list procurou evidenciar as características mais expressivas de Ivan: a combinação de ritmos diferentes, fortemente nacionais, e melodias muito marcantes de fácil apreensão pelo público. “Quem escolheu o repertório foi o maestro Marcelo Ramos. Apenas aprovei”, brinca.

O músico afirma que qualquer canção sua ou de qualquer pessoa pode se tornar sinfônica. “Até 'Ciranda, cirandinha'. Uma orquestra sinfônica dá ferramentas para isso. Sabendo escrever para ela, tudo dá certo. Tenho obras mais sinfônicas, principalmente as que escrevi para o cinema”, ressalta.

Em 2015, Ivan Lins vai completar 45 anos de carreira e 70 de idade e, por conta dessas celebrações, já está preparando uma série de novidades. “Estou com um disco praticamente pronto para sair. São canções que chamamos de ‘lado B’. Músicas que se perderam entre os 44 discos gravados nesses 44 anos de estrada. Na verdade, algumas das centenas que ficaram pelo caminho. E também três ou quatro que foram gravadas por outros e não por mim. Daria, na verdade, para fazer vários CDs. Tem mais coisas boas por aí, mas quando chegar a hora, revelo”, pontua.

Série Sinfônica Pop

Concerto da Orquestra Sinfônica com Ivan Lins. Amanhã, às 20h30. Grande Teatro do Palácio das Artes,
Av. Afonso Pena, 1.537, Centro. Informações: (31) 3236-7400. Ingressos: R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia). Classificação: 10 anos.

O repertório

Abertura (arranjo Marcelo Ramos)
Lua soberana (Ivan Lins/ Vitor Martins) – arranjo Vince Mendoza
Dinorah, Dinorah (Ivan Lins/ Vitor Martins) – arranjo Marcelo Ramos
Bilhete (Ivan Lins/ Vitor Martins) – arranjo Marcelo Ramos
Daquilo que eu sei (Ivan Lins/ Vitor Martins) – arranjo Vince Mendoza
Começar de novo (Ivan Lins/ Vitor Martins) – arranjo Fred Natalino
Formigueiro (Ivan Lins/ Vitor Martins) – arranjo Marcelo Ramos
Madalena (Ivan Lins/ Ronaldo M. de Souza) – arranjo Nelson Ayres
Ai, ai, ai, ai, ai (Ivan Lins/ Vitor Martins) – arranjo Vince Mendoza
Lembra de mim (Ivan Lins/Vitor Martins) – arranjo Marcelo Ramos
Cartomante (Ivan Lins/ Vitor Martins) – arranjo Marcelo Ramos
Vitoriosa (Ivan Lins/ Vitor Martins) – arranjo Fred Natalino
Somos todos iguais nesta noite (Ivan Lins/ Vitor Martins) – arranjo Nelson Ayres
Iluminados (Ivan Lins/ Vitor Martins) – arranjo Fred Natalino
Novo tempo (Ivan Lins/ Vitor Martins) – arranjo Marcelo Ramos
Desesperar jamais (Ivan Lins/ Vitor Martins) – arranjo Marcelo Ramos

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA