Cantores de música country dos EUA saem do armário

Dois conhecidos nomes revelaram na última quinta-feira, com poucas horas de intervalo, que são gays

por AFP - Agence France-Presse 27/11/2014 12:07

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação
Cantores Ty Herndon, de 52 anos e Billy Gilman, de 26 anos (foto: Divulgação)
Uma igreja, uma caminhonete ou um bar: o tradicional mundo da música country, ancorado na vida rural e conservadora dos Estados Unidos, está sendo abalado por revelações sobre a homossexualidade de alguns cantores.

Dois conhecidos nomes revelaram na última quinta-feira, com poucas horas de intervalo, que são gays. O primeiro, Ty Herndon, de 52 anos, é uma estrela desde os anos 1990, conhecido por suas músicas cristãs e românticas. "Sou um homem gay fora do armário, orgulhoso e feliz", disse Herndon à revista People.

Casado duas vezes, Ty Herndon reconheceu que lutava interiormente desde a infância para assumir sua homossexualidade. Agora, tem um companheiro e garante ter se reconciliado sua fé e sua orientação sexual. "Me sento na parte de trás da minha caminhonete, medito e falo com Deus", declarou à revista.

Algumas horas mais tarde, inspirado pelo colega, outro jovem cantor, Billy Gilman, gravou suas declarações num vídeo postado no YouTube. Uma declaração improvisada e ainda mais comovente que o anúncio de Ty Herndon. O cantor de 26 anos conta que "temia a morte" ao tornar pública sua preferência sexual, mas ficou tomou coragem após rumores sobre sua vida. "Ser um cantor de country gay não é a melhor coisa" que já me aconteceu, diz o artista, cujos primeiros sucessos datam de 2000, quando tinha 11 anos.

"Se as pessoas não gostam da minha música, é diferente. Mas depois de ter vendido cinco milhões de discos e uma vida maravilhosa no mundo da música, compreendi que algo faltava quando nenhuma grande gravadora queria escutar meu novo material", conta Gilman.

Garantindo que não se envergonha de ser gay, o cantor lamenta sê-lo "num gênero musical e um setor que têm vergonha de que eu seja quem eu sou".

Nasvhille insular

Ser abertamente gay tampouco foi simples em outros gêneros musicais. Elton John e George Michael, por exemplo, esperaram ser famosos para depois assumir publicamente sua sexualidade. No mundo do hip hop, o tabu continua sendo muito forte. Frank Ocean, que afirmou em 2012 que seu primeiro amor foi um homem, é uma exceção, e Jay Z elogiou sua coragem.

Mas a sociedade norte-americana evolui rapidamente na matéria. Casais do mesmo sexo podem se casar em 35 dos 50 estados.

A cultura country também não é uniforme. Dolly Parton, uma de suas figuras mais conhecidas, é adorado por seus fãs gays. Outras duas estrelas do country, Chely Wright e k.d. lang, são abertamente lésbicas.

A vencedora da canção country do ano foi Kacey Musgraves, por 'Follow your arrow', cuja letra sexualmente neutra alude o amor gay e a maconha, e pede que ignorem a opinião dos demais.

"Vocês se dão conta do que isso significa para a música country?", perguntou Musgraves. A canção foi escrita com Brandy Clark e Shane McAnally, ambos abertamente gays.

Mas onde chegará Nashville, a cidade do Tennessee sede da indústria da música country? Os empresários e pessoas influentes formam ali um microcosmos e para eles o objetivo são as mulheres de entre 30 e 35 anos, disse Joseph Brant, do jornal local LGBT, Out & About Nashville.

"Eles não são anti-gays. Mas tentam adivinhar qual é seu público-alvo", afirma Brant, explicando que temem que essas mulheres não se apeguem muito a artistas homossexuais.

Ty Herndon e Billy Gilman são, certamente, grandes nombres, mas já o eram há muito tempo. "Se eles saíssem do armário essa semana, ao mesmo tempo que o primeiro hit deles, todo o sistema iria por água abaixo", disse Brant.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA