Série de shows em Belo Horizonte presta homenagem a Dorival Caymmi

Espetáculo 'Caymmi, quando se canta todo mundo bole' estreia hoje à noite, no Centro Cultural Banco do Brasil

por Ailton Magioli 22/11/2014 00:13

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Fernando Rabelo/divulgação
Cancioneiro de Dorival Caymmi é revisitado no CCBB-BH (foto: Fernando Rabelo/divulgação)
'Enxuta e preciosa'. Com essas palavras, a neta e biógrafa Stella Caymmi resume a obra de seu avô Dorival, homenageado na série 'Caymmi, quando se canta todo mundo bole', que estreia hoje à noite, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), onde permanecerá em cartaz até 14 de dezembro.

Serão apresentados os shows 'Requebre que eu dou um doce', com Teresa Cristina e João Cavalcanti; 'Acontece que eu sou baiano', com Jussara da Silveira e Moreno Veloso; 'Quem vem pra beira do mar', com Camila Costa e Bem Gil; e 'Acalanto', com Alice Caymmi e Danilo Caymmi.

Divididos por temas, os espetáculos resgatam o cancioneiro de Dorival Caymmi (1914-2008), cujo centenário de nascimento é comemorado este ano.

Stella Caymmi conta que o avô, ao completar 80 anos, foi consultado por ela, a pedido dos Correios, sobre a música mais representativa de sua obra. “O mar”, respondeu ele, privilegiando as famosas canções praieiras. A neta lembra que a obra de Dorival é múltipla. “Em termos de variedade de gêneros, as praieiras são as mais representativas, pois foram compostas nos formatos samba, samba-canção e até toada”, destaca. Mas Stella chama a atenção para a “porção antropológica instintiva” do compositor, que registrou musicalmente o panorama arquitetônico, religioso e até culinário de sua terra.

CAYMMI, QUANDO SE  CANTA TODO MUNDO BOLE


Sábados e domingos, às 19h. Centro Cultural Banco do Brasil, Praçada Liberdade, 450, Funcionários. Ingressos: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada). Informações: (31) 3431-9400.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA