Caetano Veloso, Ivete Sangalo e outros brasileiros são premiados no Grammy Latino

Festa musical aconteceu na noite desta quinta-feira, em Las Vegas

por AFP - Agence France-Presse 21/11/2014 08:42

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Latin Grammy/Divulgação
Anitta apresentou a música 'Zen' durante a cerimônia (foto: Latin Grammy/Divulgação)
A entrega dos prêmios Grammy Latino se converteu em uma festa musical que teve como principais vencedores Jorge Drexler, Paco de Lucía e Enrique Iglesias, em uma cerimônia em Las Vegas que celebrou a nova política migratória de Barack Obama, mas exigiu justiça do governo mexicano.

Nas oito categorias brasileiras do prêmio, saíram vencedores Aline Barros, com 'Graça' (Melhor Álbum de Música Cristã de Língua Portuguesa), Ivete Sangalo, com 'Multishow Ao Vivo - Ivete Sangalo 20 anos', na categoria Melhor Álbum de Música Pop, e Erasmo Carlos, com Melhor Álbum de Rock por 'Gigante Gentil'.

Além disso, Maria Rita levou o prêmio de Melhor Álbum de Samba com 'Coração a Batucar', Marisa Monte conquistou Melhor Álbum de Música Popular Brasileira com 'Verdade, uma Ilusão' e Sérgio Reis faturou o gramofone de Melhor Álbum de Música Sertaneja com 'Questão de Tempo'.

Por fim, o grupo Falamansa levou com 'Amigo Velho' o Grammy de Melhor Álbum de Música de Raiz, e Caetano Veloso conquistou com 'A Bossa Nova é Foda' o prêmio de Melhor Canção Brasileira.

Música e política
A cerimônia começou minutos após o presidente americano anunciar, na noite de quinta-feira, que impulsionará por decreto um pacote de medidas favoráveis para que milhares de hispânicos regularizem sua situação no país.

"Dedico este prêmio muito especialmente ao presidente Obama", disse Carlos Vives ao receber seu gramofone de Melhor Álbum Tropical Contemporâneo por 'Más + Corazón Profundo'. "Não acredito ter ouvido nenhum presidente dos Estados Unidos falando tão bonito sobre nossos latinos como Obama fez", disse o colombiano.

Marc Anthony seguiu os passos de seu amigo ao honrar a raça latina quando recebeu seu Grammy Latino de Melhor Álbum de Salsa por '3.0'.

Já Calle 13, que recebeu dois dos nove prêmios aos quais concorria, liderou as reivindicações ao exigir do governo de Enrique Peña Nieto que o desaparecimento dos 43 estudantes mexicanos não fique impune.

Fiel ao seu estilo, a banda de Porto Rico abriu a cerimônia do Grammy Latino no hotel MGM Grand de Las Vegas ao grito de '¡Ayotzinapa somos todos', uma ação que colocou o público de pé e incendiou as redes sociais com mensagens de apoio.
Outros mexicanos premiados, como o cantor Pepe Aguilar e a banda Camila, se uniram às exigências por paz e justiça.

Homenagem póstuma

Um dos momentos mais emocionantes da cerimônia foi quando a Academia Latina de Gravação concedeu o Grammy de Álbum do Ano a 'Canciones Andaluzas' de Paco de Lucía, o mestre da guitarra flamenca falecido em fevereiro.

Sua viúva, Gabriela Carrasco, destacou que o prêmio é um reconhecimento aos últimos meses de vida do guitarrista, que os dedicou a trabalhar neste disco, também vencedor na categoria Melhor Álbum Flamenco.

Jorge Drexler foi surpreendido ao receber o prêmio de Gravação do Ano com 'Universos Paralelos', que canta com Ana Tijoux.
O músico uruguaio, também vencedor do Melhor Álbum Compositor por 'Bailando Bajo La Cueva', dedicou o prêmio ao seu avô.

O hit 'Bailando' deu muitas alegrias a Enrique Iglesias e a Descemer Bueno & Gente de Zona, ao ser proclamado Canção do Ano e vencer em outras duas categorias.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA