Mariene de Castro celebra o samba e a música popular em 'Colheita'

Revelação da MPB, cantora se apresenta nesta sexta no Cine Theatro Brasil

por Walter Sebastião 14/11/2014 10:36

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Adriano Fagundes/Divulgação
(foto: Adriano Fagundes/Divulgação )
Vale ouvir com atenção esta estrela da MPB: Mariene de Castro. A baiana, de 36 anos, começou sua carreira como apoio para o pessoal da Timbalada. Descoberta por produtores franceses, ela fez turnê na Europa e, na volta a Salvador, causou furor cantando sambas de roda no espetáculo Santo de casa, devidamente registrado em disco. Com 'Tabaroinha' (2012), a cantora celebrou a estética interiorana. 'Vieram Ser de luz' (2013), reverência a Clara Nunes, e 'Colheita' (2014), uma penca de sambas de primeiríssima com a participação de Beth Carvalho, Maria Bethânia e Zeca Pagodinho.


Toda essa história faz parte do show 'Colheita', que Mariene traz nesta sexta a BH. “Vou mostrar os frutos de muitas sementes plantadas em 15 anos de carreira”, conta ela, saboreando o momento em que sua arte ganha dimensão nacional. A moça promete um espetáculo ensolarado, mix de Rio e Bahia – leve, sutil, mas sem esquecer a força dos atabaques.

O público verá um encontro inusitado de Cartola, Roque Ferreira, Arlindo Cruz, Toninho Gerais, Dominguinhos e Djavan, avisa Mariene. “Estou cantando, cada vez mais, o amor”, observa, revelando que adora ouvir o público acompanhá-la na romântica 'Impossível acreditar que perdi você', de Márcio Greyck e Cobel.

CASA Fazer disco é muito bom, mas estar no palco é “mágico”, afirma Mariene. “Ele é a minha grande casa, o meu canto, onde me sinto protegida. Show é momento não só de cantar, mas de conversar com o povo. Posso mostrar o que desejo para mim e para todos”, acrescenta. “Desejo que as pessoas encontrem paz espiritual e joguem fora a intolerância, o racismo e o preconceito”, diz.

A baiana conta que 'Colheita' tem um momento “exuberante”: a presença do bailarino Deny Silva em dois números. “Poder colocar no palco um bailarino clássico dançando afro é uma realização”, comemora, dizendo que até voltou às aulas de dança.
A banda que acompanha Mariene é formada por Marcos Bezerra (violão), Cicinho de Assis (acordeom), Eduardo Reis (cavaquinho), Israel Ramos (baixolão), Fábio Cunha, Marcelo Pinho, André Souza, Iuri Passos e Reinaldo Boaventura (percussão), Viviane Godoy, Nair Cândia e Jorge Alexandre (vocais).

Em tempo: o show traz pout pouri de canções de artistas populares, como Dona Nenê. Parte do repertório é praticamente folclórico, outra paixão da baiana.

'COLHEITA'
Show de Mariene de Castro. Sexta, às 21h. Cine Theatro Brasil Vallourec, Praça Sete, Centro, (31) 3201-5211. Ingressos: R$ 90 (inteira) e R$ 45 (meia-entrada).

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA