De pijamas, Arnaldo Antunes faz show em BH

Cantor vai apresentar canções novas e o repertório clássico da carreira e se diz mais próximo ao público em nova apresentação

por 07/11/2014 09:53

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Fernando Laszlo/divulgação
(foto: Fernando Laszlo/divulgação)
“Às vezes, acho que faço disco pelo prazer de fazer shows”, conta o cantor e compositor Arnaldo Antunes. “É uma troca de energia vibrante, que me alimenta. Sempre digo ao público que espero que eles se divirtam tanto quando eu me divirto no palco”, acrescenta. Estarão na apresentação que ele faz amanhã, às 21h, no Teatro Bradesco, composições recentes e de fases anteriores, várias acompanhadas por vídeos ou com iluminação especial.


No programa, quatro canções que Arnaldo Antunes ainda não gravadas: 'Muito muito pouco', 'Vá trabalhar', 'Ela é tarja preta' e 'Dizem (quem me dera)'. “São músicas que se complementam. Existe no meu trabalho uma diversidade que é natural. Não gosto de me deter num gênero específico”, explica o artista, evitando apontar uma música que goste mais. “Não quis amenizar contrastes no CD; pelo contrário, procuro evidenciá-los”, conta, indicando sedução por atritos estéticos, o que considera presente em tudo o que realiza.

Arnaldo e banda estarão no palco com figurino especial: de pijamas. Roupa que traduz sua intenção de compartilhar com o público clima e momento de intimidade. “Acho pijama bonito. Sinto-me elegante com ele. Não é um qualquer, mas um pijama desenhado por Marcelo Sommer”, observa. O paulista chega com grupo formado por Fernando Catatau (guitarra), Chico Salem (guitarra e vocal), André Lima (teclados), Betão Aguiar (baixo e vocal) e Curumin (bateria e vocal).

O artista já lançou 15 discos e 21 livros. Dupla atividade que é natural para ele. Praticada com regularidade e quantidade “acima da média” de colegas dele. O cantor e compositor não esconde a satisfação de ter trabalhado e ser respeitado tanto em meios de comunicação de massa ou em circuitos menores. O momento, conta, é de vontade de encerrar temporada do show 'Disco' e se dedicar a novo livro, em andamento. Mais gravações só depois da metade de 2015.

Dono da palavra

Elementos recorrentes

“O desejo de experimentar formações instrumentais renovadoras, o gosto por tratar o estúdio como laboratório, o trabalho precioso com a palavra, o modo de interpretar explorando os graves, que, com o tempo, fui lapidando. E, o mais importante, a adequação entre letra e melodia, procurando dizer o máximo o que a letra diz.”

Carreira eclética
“Desde adolescente escrevo poemas e faço canções. E as duas coisas convivem naturalmente. A palavra me levou ao visual,
à música, ao vídeo e a todas as formas de expressão que utilizo. Ela é a interseção de tudo. Há épocas que só estou compondo e nem penso em livro. E existem momentos dedicados aos shows, como agora, em que estou escrevendo e já pensando em livro novo.”

Viagens
“Quando viajo tenho contato com muita cultura regional, ganho muitos livros e discos. Impressiona-me o quanto há produções surpreendentemente boas, não só de raiz mas contemporâneas. O Brasil é um continente muito rico. Viagens, para um temperamento como o meu, são muito enriquecedoras, permitem contato físico com diversas culturas. O que é bom para qualquer pessoa, não só para artistas.”

'DISCO'
Show de Arnaldo Antunes. Sábado, às 21h. Teatro Bradesco, Rua da Bahia, 2.244, Lourdes, (31) 3516-1360. Ingressos: R$ 30 e R$ 60.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA