Saxofonista cubano Paquito D'Rivera se apresenta em BH ao lado do Trio Corrente

Concerto no Cine Theatro Brasil lança o disco de jazz 'Song of Maura', vencedor do Grammy

por Eduardo Tristão Girão 14/10/2014 07:30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Jorge Rosemberg/Divulgação
Paquito se junta ao trio brasileiro para tocar temas de Pixinguinha, K-Ximbinho, Guinga e Chico Pinheiro (foto: Jorge Rosemberg/Divulgação)
Nenhuma das duas partes esconde: o lendário saxofonista cubano Paquito D’Rivera demorou a aceitar o convite para tocar com os brasileiros do Trio Corrente, por conta de experiências negativas que teve com outros músicos. Entretanto, ele não se arrependeu de ter dado o braço a torcer. Juntos, gravaram o disco 'Song for Maura' (2013), que lhes rendeu um Grammy na categoria melhor álbum de jazz latino e iniciaram turnê mundial que chega hoje a Belo Horizonte. À noite, estarão no palco Cine Theatro Brasil.


Gravado em 2012, o disco homenageia a mãe do cubano (Maura) e é composto por 13 faixas, quase todas de compositores brasileiros, como K-Ximbinho ('Sonoroso'), Pixinguinha ('1x0'), Baden Powell ('Tem dó', com Vinicius de Moraes), Guinga ('Di menor', com Celso Viáfora), Chico Pinheiro ('Cebola no frevo', com Edu Ribeiro) e Severino Araújo ('Chorinho pra você'). Oportunidade de ouvir um músico experiente e telentoso como D’Rivera interpretar peças de laguns dos mais representativos autores nacionais.

“Paquito é muito próximo da música brasileira. Já gravou inúmeros trabalhos nos quais contempla os standards brasileiros. Compõe samba e bossa com maestria. De nossa parte, temos experiência com a música latina. O baixista, Paulo Paulelli, já havia tocado com o trompetista cubano Arturo Sandoval. Eu e o baterista Edu Ribeiro já tocamos em grupos de salsa. Tudo contribuiu para que houvesse um encontro de intenções musicais. A gravação transcorreu de forma muito natural”, avalia o pianista Fábio Torres.

O primeiro show que fizeram juntos foi no Festival Jazz e Blues de Guaramiranga, no Ceará, em 2010. Em seguida, fizeram turnê pelo restante do país e embarcaram para série de shows pela Espanha, Nicarágua, Chile, Uruguai, Equador e Colômbia. Os músicos acabam de chegar da Coreia do Sul e do Japão e, recentemente, receberam convite para uma semana de shows no clube de jazz Iridium, em Nova York, nos Estados Unidos.

Trabalhos com nomes estrangeiros tem sido constantes para o Trio Corrente, comemora Torres: “Tocar com músicos tão experientes é sempre enriquecedor. A parceria com Paquito foi mais duradoura e resultou num CD, o que fez toda a diferença. Tocar com um músico que foi apadrinhado por Dizzy Gilespie e ganhou o Grammy mais de 10 vezes é sempre especial”, elogia. No momento, o trio trabalha na produção de seu próximo disco, que deverá ser gravado até o começo do ano que vem, sem convidados.

Três perguntas para...
Paquito D'Rivera
saxofonista e compositor

O que mais o encanta na sonoridade do Trio Corrente? Foi fácil trabalharem juntos? Você já conhecia o trio?

Tive muitas experiências ruins trabalhando com gente que não conhecia, então, esse tipo de parceria me aterrorizava. Quando o Jacques Figueras, produtor do trio, comentou comigo sobre esse trabalho e me convidou para a parceria, tive certa resistência, mas meu pianista, Alex Brown, fez grandes elogios ao Corrente e resolvi conhecê-los. Naturalmente, a parceria fluiu muito bem, com liberdade para a criação, e resultou nesse maravilhoso disco.

Qual é sua relação com a música brasileira?
Amo a música brasileira e há muitos anos me relaciono artística e pessoalmente com muitos artistas daqui, como Leny Andrade, Claudio Roditi, irmãos Assad, Paulo Moura, Rosa Passos, César Camargo Mariano, Romero Lubambo, Brasil Guitar Duo, Hamilton de Holanda etc. Costumo dizer que metade do meu coração é brasileiro.

Quem você conhece da nova geração de músicos brasileiros? A que novos projetos você se dedica nesse momento?
Conheço principalmente o Brasil Guitar Duo, com quem toquei bastante, e o Hamilton de Holanda. Agora, o Trio Corrente. Sobre novos projetos, meu último álbum chama-se Jazz meets the classics, lançado em agosto.

Song for Maura
Show de lançamento do disco do Trio Corrente e Paquito D’Rivera. Nesta terça-feira, às 21h, no Grande Teatro do Cine Theatro Brasil (Praça Sete, s/nº, Centro). Ingressos: R$ 40 (inteira), R$ 20 (meia-entrada) e R$ 10 (funcionário Vallourec). Informações: (31) 3201-5211.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA