Gaby Amarantos: "eu sou uma travesti que deu certo"

Cantora estreia no canal Discovery Home Health (TV paga) como apresentadora. Ela adianta a tendência: a linha será a da transformação de estilo

13/10/2014 19:08

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Crédito: Ar Livre/Divulgação
Artista teve Clara Nunes e Beyoncé como principais referências. (foto: Crédito: Ar Livre/Divulgação)
"Eu sou uma travesti que deu certo". Quem afirma é Gaby Amarantos, mãe de Davi e namorada do cineasta inglês Gareth Jones. A cantora e compositora paraense atribui a identificação com o segmento por conta da postura diante da relação homoafetiva e do visual exuberante, que inclui figurino e acessórios extravagantes em roupas coloridas, sapatos de 20 centímetros de altura, cílios postiços e apliques de cabelo. Com presença frequente nos palcos do país e em programas de TV, ela se prepara para estrear no canal Discovery Home Health (TV paga) como apresentadora. Ela adianta a tendência: a linha será a da transformação de estilos.

A artista nascida no bairro pobre de Jurunas, na periferia de Belém, ex-integrante do coral da igreja de Santa Teresinha do Menino Jesus, teve Clara Nunes e Beyoncé como principais referências. Cinco anos depois de, oficialmente, dar início à carreira como vocalista da Banda Techno Show, é hoje um dos nomes mais populares da MPB. Ela decolou para a fama e o sucesso em 2012, depois do estouro de Ex mai love (Veloso Dias), faixa de Treme, álbum de estreia. A canção, incluída na trilha da novela Cheia de charme (TV Globo), reverberou pelo país e chegou ao exterior. O disco valeu à cantora diversos prêmios - de revelação musical a artista do ano.

Entrevista com Gaby Amarantos

Programa de TV


Fiquei muito feliz com o convite de comandar um programa de TV. Há algum tempo, fiz um projeto parecido no Pará, mas era um programa de entretenimento, musical. Depois que fiz a série Gaby gringa, gravada em quatro países, senti vontade de embarcar na aventura. Vai ser um programa em que eu vou ser a mediadora entre pessoas que querem mudar os seus estilos. Não posso dar muitos detalhes, pois ainda não posso divulgar, mas preparem-se, porque será divertidíssimo e, com certeza, vai fazer o maior sucesso!

Musa dos gays

Não me sinto nova musa de nenhum tipo de segmento, até porque o meu trabalho é para todos. Então, eu não sou musa de ninguém, que seja de um modo geral, musa de todo mundo! Eu toco em diversos eventos do movimento gay pelo país inteiro e é um público por quem eu tenho muito carinho e respeito, só que eu não sou uma artista que toca apenas para esse público. Meu show atinge todos os públicos, até mesmo crianças, idosos. Não gosto dessa nomenclatura, pra mim, todos são iguais.

Guitarrada e tradição

Me relaciono muito bem com todos os mestres, os da guitarradas, do carimbó. Procuro estar próxima. Quando estou em Belém, faço almoço na minha casa. Tenho muito respeito. Com a galera da nova geração, a gente compõe junto, participo de shows.

Origem em Jurunas

Minha relação com o Jurunas (bairro de Belém) continua a mesma. La é a minha origem e é onde eu quero continuar morando. Tenho muito respeito. Procuro fazer da minha trajetória um exemplo. Não importa onde você mora, e sim batalhar pelos sonhos.

Veja o clipe de Gemendo:

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA