Ex-integrante do Cansei de ser sexy lança trabalho solo

Adriano Cintra se consolida como um dos principais produtores da música brasileira contemporânea

por Correio Braziliense 13/10/2014 18:24

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Maria Helena Zebra/Divulgação
Adriano Cintra: palavra final em um disco não pode ser do produtor, mas sim do artista (foto: Maria Helena Zebra/Divulgação)
“Não me considero músico.” Um dos produtores mais importantes do momento e com um disco recém-lançado, Adriano Cintra, 40 anos, respondeu assim quando perguntado sobre quantos instrumentos toca. Não se considerar músico, porém, não quer dizer que a música não seja parte do dia a dia e do ganha-pão do paulistano, nome por trás da maioria das canções da banda Cansei de Ser Sexy.

“Não sou aquele cara que chega no estúdio, pega a partitura e sai tocando. Nem quero ser. Toco o suficiente para fazer as coisas que eu gosto”, explica. Os instrumentos são muitos: guitarra, baixo, sax, piano e “mais alguns”.

Foi pelo piano que a música entrou na rotina do garoto de 6 anos que quis acompanhar a irmã nas aulas. “Eu gostava das lições de música que tinha no colégio, então, fui na onda da minha irmã”, rememora.

No instrumento, Adriano estudou a técnica e a teoria da música erudita, mas foi por volta dos 16 anos, quando comprou uma guitarra que começou a compor. “Como estudei piano clássico, a composição não era muito o foco”, lembra.

Depois disso, foram várias bandas até chegar, em 2003, ao Cansei de Ser Sexy. A parceria surgiu de conversas de bar. Ele conhecia a baixista Iracema Trevisan e eles decidiram, enquanto tomavam cerveja, começar o projeto. “Vamos montar uma banda? Vamos. Mais ou menos assim numa conversa de bêbados que foi o início”, conta. Marcaram o primeiro ensaio e, de lá, saíram com três músicas, fizeram mais três depois e, pronto, decidiram se apresentar.

A participação na Cansei de Ser Sexy o levou para turnês fora do país e o fez se mudar para Londres. A rotina das viagens e o cansaço foram a razão principal para Cintra desistir da banda em 2011. “Passei quatro anos sem descansar, ficávamos 8 meses fora de casa. Já estava com quase 40 anos, não tinha mais saúde para isso”, explica.

Confira mais sobre as quatro formações de uma das banda brasileiras que mais fez sucesso fora do país


Desde que surgiu em 2003 até o lançamento do último álbum da banda no ano passado, quatro formações marcam a trajetória do Cansei de Ser Sexy. Um dos mais bem sucedidos projetos brasileiros no exterior, o grupo começou com oito músicos e, atualmente, restam quatro integrantes.

A banda começou como um projeto divertido que tinha o simples desejo de fazer música sem preocupações técnicas e tendo como uma de suas marcas a forte presença de influências de rock, pop e música eletrônica.

A primeira formação do Cansei de Sexy trazia: Lovefoxxx nos vocais, Adriano Cintra em vários papéis (bateria, guitarra, baixo, vocais), Clara Ribeiro fazia backing, Luiza Sá se dividia entre guitarra e bateria, Ana Rezende na guitarra, Maria Helena Zerba nos teclados, Iracema Trevisan no baixo e Carolina Parra também na guitarra

Mesmo antes de ser lançado o primeiro disco homônimo que saiu em 2005, Clara Ribeiro e Maria Helena Zerba deixaram o grupo, que ficou com: Lovefoxxx, Adriano Cintra, Luiza Sá, Ana Rezende, Iracema Trevisan, Carolina Parra

Em 2008, a baixista Iracema Trevisan abandonou o grupo e, no mesmo ano, o álbum Donkey foi lançado. A formação era: Lovefoxxx, Adriano Cintra, Luiza Sá, Ana Rezende, Carolina Parra

Em 2011, depois de brigas e declarações acaloradas, foi a vez de Adriano Cintra deixar a banda e as integrantes que restaram seguem como a formação atual: Lovefoxxx, Luiza Sá, Ana Rezende e Carolina Parra

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA