Oswaldo Montenegro faz show nesta quinta em BH

Cantor comemora 40 anos de carreira, incluindo trabalhos no teatro e no cinema

por Eduardo Tristão Girão 09/10/2014 07:30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Mariana Vianna/Divulgação
(foto: Mariana Vianna/Divulgação )
O cantor e compositor Oswaldo Montenegro quase não ouve música. “Sou um ‘assistidor’ de filme compulsivo. Vejo filme e série o dia todo, a ponto de confundir um com outro. Todo dia em casa, por horas”, confessa. Com alegria, anima-se com os rumos que a música vem tomando (internet, pirataria etc.) e chega a Belo Horizonte para o show 3x4, nesta quinta-feira à noite, às 21h, Cine Theatro Brasil Vallourec, no qual traça a perspectiva de seu repertório ao longo de 40 anos de carreira.

“O momento nunca foi tão bom, uma coisa maravilhosa. Os novos tempos me acolheram. Sempre tive dificuldade de corresponder à expectativa da indústria, pois exerço uma liberdade feroz. Quando fui gravar 'Bandolins', estava passando fome e a gravadora disse que seria um fracasso. Gravei sem contrato. Essa música foi um sucesso e salvou minha vida. Hoje, quem decide é a galera. A gente joga lá na internet e vê. Andei na contramão a vida inteira e agora a contramão virou mão”, resume o artista.

Referências


Dividido em quatro blocos, o espetáculo de Montenegro começa com as músicas mais alegres de sua trajetória, incluindo citações de Villa-Lobos, Bach, Waldir Azevedo, Patápio Silva e Vivaldi. Na segunda parte, ele costura sucessos como se fossem uma única música, enquanto na terceira bate papo com o público e atende aos pedidos. Ao final, volta-se ao blues, tendo Madalena Salles na gaita. Também o acompanham Sérgio Chiavazzoli (bandolim) e Alexandre Meu Rei (violão).

“Nesse segundo bloco, homenageei a turma de Minas Gerais, de São João del-Rei, os seresteiros. Quando fui morar lá, ainda criança, participava disso e me inundou. Lembro-me de figuras como Chico Bagunça e Francesco Caputo. Minhas músicas são inspiradas por essa coisa barroca misturada com serenata. Músicas como Bandolins são exemplos”, observa ele.

Montenegro conta que o espetáculo é resultado de pouco mais de um mês de ensaios, que duravam 10 horas por dia. “Ficamos internados”, lembra. Ele conta que já havia feito algo em formato semelhante com Chiavazzoli, no álbum Seu Francisco, mas que desta vez “abusou”: “Tem violão de doze, violão dobro, bouzouki, bandolins diferentes”. Entre as músicas inéditas que aproveitará para mostrar estão Me ensina a escrever e A lógica da criação, que escreveu para seu segundo longa, Solidões, lançado ano passado.

Oswaldo Montenegro em “3x4”

Show do cantor e compositor. Nesta quinta-feira, às 21h, Cine Theatro Brasil Vallourec (Praça Sete, s/nº, Centro). Ingressos: plateia 1 a R$ 160 e R$ 80 (meia-entrada); plateia 2 a R$ 140 e R$ 70 (meia-entrada), à venda na bilheteria do teatro e pelo site www.compreingressos.com. Informações: (31) 3201-5211.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA