João Donato comemora oitenta anos com série de shows em Belo Horizonte

Hoje, o compositor se apresenta com Toninho Horta, no Centro Cultural Banco do Brasil

por Ana Clara Brant 08/10/2014 09:23

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Alvinho Duarte/Divulgação
Autor de clássicos da MPB como 'Lugar comum' e 'Nasci para bailar', João Donato é admirado pelos colegas pela sofisticação e balanço de suas composições (foto: Alvinho Duarte/Divulgação )
Até quem sabe é a escolhida de Toninho Horta. Emoriô cativou Aline Calixto. Já Lugar comum tem um lugar especial na vida de Thiago Delegado, enquanto que Mosquito é a preferida de Tiago Eiras, da banda Dibigode. Essas composições fazem parte do repertório de um dos grandes nomes da música brasileira, o acreano João Donato, que completou 80 anos em agosto. E para marcar a data, o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em Belo Horizonte, inicia nesta quarta o projeto João Donato 80+, série de seis shows que vai contar com a presença do homenageado e mais seis convidados, boa parte deles mineiros, incluindo Toninho, Aline, Delegado e Dibigode.


Em todas as apresentações, sempre às quartas-feiras, até 26 de novembro, além das participações especiais, Donato estará acompanhado de sua banda, formada por Robertinho Silva (bateria), Luiz Alves (contrabaixo), Ricardo Pontes (sax/flauta) e José Arimatéa (trompete).

 

 


O cantor e compositor Toninho Horta é quem abre nesta quarta a programação e está orgulhoso em participar da iniciativa. “João é um ídolo. Uma pessoa que já tinha um nome na época da bossa nova, com uma estrada enorme. Virou uma referência no nosso meio. Mesmo com simplicidade, sua música tem uma sofisticação, uma harmonia e um suingue únicos. João é um mestre e um artista completo”, elogia o integrante do Clube da Esquina.


Na semana que vem, a convidada é a cantora Aline Calixto. A sambista nunca dividiu o palco com João Donato e ficou emocionada de ser lembrada para o tributo. Aline conta que sempre foi uma admiradora do trabalho do músico e que o considera um dos grandes representantes da MPB. “João é um superartista, não só como compositor, mas como intérprete da própria obra, além de ser um instrumentista fabuloso. Dividir o palco com ele e ainda numa comemoração dos 80 anos é uma honra. Na semana passada, ensaiamos juntos lá no Rio e foi muito gostoso e divertido. Ele é uma figura extremamente espirituosa e tenho certeza de que o público vai adorar nossa apresentação”, garante a cantora.


Quem também vai estrear ao lado do artista octogenário é a banda Dibigode, que nunca teve um contato tão íntimo com a obra donatiana. Para Tiago Eiras, baterista do grupo de música instrumental autoral, formado em BH, João Donato é um artista muito vivo, dinâmico e sempre está explorando novidades. “Acho que o convite surgiu porque estavam em busca de alguém com uma pegada instrumental contemporânea. Estamos ensaiando um repertório dele que tem a ver com o nosso universo, como o do disco A bad Donato. E o bacana é que no nosso show vamos ter a participação do filho dele, o Donatinho”, destaca.

 

 


Já o compositor, arranjador e violonista Thiago Delegado tem uma ligação ímpar com o compositor de A paz, A rã, Bananeira, Até quem sabe e Nasci para bailar, entre outros sucessos. Ele não se esquece da primeira vez que ouviu Amazonas, numa roda de samba no Rio de Janeiro, há cerca de 10 anos. Delegado ainda estava no começo da carreira e, desde então, a canção passou a fazer parte do seu repertório, ao lado de outros temas de Donato. “Quando ouvi aquilo, falei: ‘Nossa, isso também é do João Donato!’. Que maravilha de música. Ele é uma referência para todos que trabalham com MPB. Não tem como classificá-lo. João Donato é João Donato, assim como o Dorival Caymmi é Dorival Caymmi. Estou muito honrado de participar desta iniciativa e vê-lo com essa vitalidade”, frisa.


A admiração pelo músico acreano só foi crescendo e quando Thiago lançou seu segundo disco, em 2012, acabou convidado Donato para vir a BH. O músico veio e participou do show, com direito a canja. “A gente tinha uma verba do patrocinador e aí resolvemos arriscar e chamá-lo. Era um sonho tocar com ele, porque João Donato é um ídolo. Ele topou e foi supergeneroso. Ele aprendeu a tocar uma música minha na hora, para poder me acompanhar e foi uma noite muito especial”, recorda Delegado.

 

Puro suingue

Nascido em agosto de 1934, em Rio Branco, no Acre, João Donato começou a tocar piano e acordeom na infância. Em 1945, mudou-se para o Rio de Janeiro com a família e passou a tocar em festas e jam sessions. Na década de 1950, já atuava como músico profissional na noite carioca. Logo conheceu Tom Jobim, João Gilberto e Johnny Alf, entre outros, passando a se interessar pelo jazz e pela bossa nova. Morou nos Estados Unidos, onde tocou e gravou com Ron Carter, Bud Shank, Herbie Mann e Wes Montgomery. Suas músicas são conhecidas pelo forte caráter instrumental e ganharam letras do irmão Lysias Ênio e de Gilberto Gil, Caetano Veloso, Martinho da Vila e Marcelo D2. Alguns dos grandes intérpretes de suas músicas são Nana Caymmi, Gal Costa, Adriana Calcanhotto, Tim Maia, Nara Leão, Luiz Eça e Bebel Gilberto.

 

 

João Donato 80 + João Donato, banda e Toninho Horta
Quarta, às 20h, Centro Cultural Banco do Brasil (Praça da Liberdade, 450). Ingressos: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada), à venda na bilheteria do CCBB-BH e na internet. A venda será para cada show e terá início sempre na quarta-feira da semana anterior à apresentação. nformações: (31) 3431-9400

 

 

A canção favorita de…


Toninho Horta – Até quem sabe (João Donoto e Lysias Ênio)

“Gosto dela porque é uma canção que não é tão balançada, suingada, e tem uma melodia muito bonita e calma. É uma música interessante.”

Aline Calixto – Emoriô (João Donato e Gilberto Gil)


“É uma música que me toca muito, porque fala de amor, de brasilidade com africanidade. João mistura as duas culturas, a África e o Brasil, e isso é muito a essência do nosso povo, bem a cara da gente. E Emoriô tem uma melodia linda, além de me consumir 100%
como intérprete.”

 

Tiago Eiras, baterista da banda Dibigode – Mosquito (João Donato)


“É uma música bem intensa, forte, rápida, com bastante improviso e suingue. Logo que começa a tocar você já reconhece que é João Donato pela brasilidade e latinidade.”

Thiago Delegado – Lugar comum (João Donato e Gilberto Gil)


“É uma canção leve, bem suingada, com uma harmonia boa para tocar. Com a letra do Gil a música ficou ainda mais completa. Lugar comum tem uma onda bem caribenha e é uma das minhas preferidas. Quase sempre está no meu repertório.”

 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA