Robert Plant continua inspirando novas gerações de músicos

Ex-vocalista do Led Zeppelin lança álbum com banda The Sensational Space Shifters e é visto como um dos símbolos máximos do rock'd'roll

por Gabriel de Sá 07/10/2014 11:22

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Warner/Divulgação
Plant foi eleito, em 2011, o maior cantor de rock de todos os tempos pelos leitores da Rolling Stone (foto: Warner/Divulgação)
Voz do Led Zeppelin, banda de rock londrina que incendiou o mundo na década de 1970, Robert Plant dedicou-se a vários projetos desde que entrou em carreira solo, a partir de 1982. Há dois anos, tem a companhia da banda The Sensational Space Shifters, com a qual passou por Brasília, em 2012, em show no Ginásio Nilson Nelson, e com quem acabar de lançar o primeiro disco, batizado de 'Lullaby and… The ceaseless roar'.

Aos 66 anos, o artista inglês, considerado um dos maiores cantores da história da música, segue servindo de inspiração para as novas gerações de músicos. Seja pela pegada visceral que imprime às interpretações, seja pelas composições atemporais, seja pela capacidade de cercar-se de excelentes instrumentistas, Robert Plant e sua cabeleira desgrenhada é um dos símbolos máximos do rock’d’roll.

Apesar de o nome da banda não aparecer na capa, 'Lullaby and ... the ceaseless roar' (algo como “canção de ninar e o rugido incessante”, em livre tradução ) é um disco de banda. Este é o décimo álbum da carreira solo de Plant, que divide com alguns dos integrantes as 11 composições do trabalho.

“É um daqueles casos surpreendentes em que colocamos juntas grandes ideias. Todos os dons combinados do grupo, por meio da variedades de estilos, nos dão alguns lugares incríveis para ir”, disse o vocalista em entrevista à gravadora. Plant tentou definir o novo trabalho ao periódico londrino The Guardian: “É tão alegre. As pessoas se reúnem para fazer o que querem fazer e o que podem fazer”.

Especiarias

Plant é um explorador musical. Nos últimos anos, ele esteve trabalhando nos Estados Unidos. Antes, passou uma temporada na África. As experiências enriqueceram a busca por novas sonoridades e, de volta a sua Inglaterra natal para produzir o disco novo, pôde lançar mão do que vivenciou nas últimas empreitadas.

Assim, folk, blue e bluegrass se juntam ao bom rock ‘n’ roll, além das especiarias orientais que sempre fizeram a cabeça de Robert Plant — desde a época do Led. Um dos instrumentos exóticos que compõem o som da banda é o kologo, espécie de violino de uma corda, de origem africana.

Os encontros musicais dos últimos anos haviam deixado Plant mais intérprete do que compositor. Na hora de pensar no novo trabalho, duvidou se conseguiria criar novamente. “Depois que eu voltei para a Inglaterra, eu me perguntava se poderia realmente escrever. Será que eu ainda tinha algo a dizer? Não estava realmente convencido de que eu tinha um trabalho autoral, pois, por muito tempo, eu apenas cantava músicas de outras pessoas”, disse ele em depoimento recente. Na época do Led, Plant compunha com os parceiros Jimmy Page e John Paul Jones.

'Lullaby and ... The Ceaseless Roar'

Disco de Robert Plant e The Sensational Space Shifters, produzido por Plant. Lançamento Warner Records, 11 faixas. R$ 35,90.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA