Joyce Cândido lança DVD gravado ao vivo com participações de João Bosco e Elza Soares

A cantora mostra estilo pessoal ao interpretar inéditas, clássicos e composições próprias

por Ailton Magioli 05/10/2014 00:13

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Cris Gomes/Divulgação
(foto: Cris Gomes/Divulgação)
Se você consegue imaginar um concerto de samba, não há definição mais apropriada para descrever o show que Joyce Cândido gravou ao vivo, no Teatro Maison de France, do Rio de Janeiro, e está lançando agora em DVD. Sob o comando da própria cantora, o espetáculo é o retrato impecável do amadurecimento de uma intérprete que, ao contrário da maioria, trata o mais genuíno gênero musical brasileiro com o devido respeito, sem afetações.

Que o diga Elza Soares, uma das convidadas de Joyce, com a qual ela divide a interpretação de Espumas ao vento, de Acioly Netto, em tom apropriado, sem gritaria. E ainda João Bosco, que apresenta com Joyce, nos extras gravados em estúdio, uma bela leitura de O rancho da goiabada, que, não fica a dever nada à consagrada por Elis Regina. Por falar em Elza e Elis, que naturalmente, influenciaram Joyce Cândido no decorrer da carreira, vale ressaltar que ela não remete seu estilo a nenhuma das duas. Trata-se, enfim, de uma cantora cuja referência única é ela mesma, sem qualquer inclinação para cover.

“O samba”, avisa ela já no Prelúdio do dia, de Renato Forin Jr., com o qual abre o concerto, “é o dom de um povo moreno/ Que parece tão pequeno/ Até o pandeiro batucar”. Originalmente lançado em 2011, o CD O bom e velho samba novo, que gerou o DVD ao vivo, reúne clássicos e inéditos do samba, por meio dos quais Joyce exibe elegância e brejeirice praticamente extintas no atual cenário da música brasileira. De Cartola (Corra e olhe o céu) a Guilherme Sá (Mar afora), passando por Chico Buarque (Deixe a menina), Caetano Veloso (Reconvexo) e Luiz Carlos da Vila (Beleza pura), entre outros, além de composição de assinatura própria (Pôr do sol), a cantora exibe talento que vem encantando gente como Toquinho e João Bosco (leia depoimentos).

Paulista de Assis, onde iniciou-se no canto e piano ainda na infância, Joyce já se apaixonara pelo choro, samba e outros ritmos brasileiros. Aos 18 anos, cursando faculdade de música em Londrina (PR), ela começa a cantar na noite, quando presta tributo a Beth Carvalho em uma roda de samba. Batizada madrinha, ela começa a se encantar pelo repertório do samba de raiz, passando a trabalhar ao lado do grupo.

 Em 2008, Joyce Cândido decide ir para Nova York, onde permanece até 2011 estudando canto, dança e teatro no Broadway Dance Center, além de cantar MPB na noite. Na época, foi eleita melhor cantora brasileira nos Estados Unidos pelo Brazilian International Press Awards. A estreia fonográfica da cantora, no Brasil, aconteceu em 2006, quando lançou Panapaná. A produção e arranjos do novo disco são do experiente cavaquinista Alceu Maia.

O bom e velho samba novo
DVD de Joyce Cândido, com participações especiais de Carlinhos de Jesus, João Bosco, Elza Soares e Toninho Geraes. Warner Music.


Depoimentos

João Bosco
cantor e compositor

“Conheci a Joyce no estúdio, quando gravava o meu DVD – ela estava no estúdio ao lado e me deu de presente o CD que já tinha lançado aqui (em 2009). Depois, me convidou para participar de um show dela em São Paulo, e foi uma delícia. Eu a vi cantar músicas muito bacanas, entre elas,   
Samba e amor, do Chico Buarque, que é a minha preferida, com a Joyce cantando e tocando piano. Canta muito bem e tem toda uma estrada pela frente.”

Toquinho
cantor e compositor

“Quando recebi o convite para tocar em um show da cantora Joyce Cândido, já tinha conhecimento do quanto ela era talentosa. Primeiro através do João Bosco, depois de vídeos na internet e de vários comentários de pessoas do meio. Foi um prazer para mim confirmar que ela é uma pessoa especial, não apenas pela voz, pela performance em cena, mas também pela elegância, o carisma e a beleza.”

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA