Catarinense Márcio Pazin vence o Festival Nacional da Canção

Canção 'Kd o ç de vc', de Pazin e Edu Campello, foi a grande premiada na final do evento, em Boa Esperança

por Déborah Morato 09/09/2014 09:27

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Fenac/divulgação
Márcio Pazin e companheiros de banda fazem festa no palco do Fenac, em Boa Esperança (foto: Fenac/divulgação )
'Kd o ç de vc', de Márcio Pazin e Edu Capello, conquistou o público e os jurados. A interpretação da banda que acompanhou Pazin arrancou aplausos da multidão em Boa Esperança, no Sul de Minas. Domingo à noite, quando a música foi anunciada como a grande vencedora do Festival Nacional da Canção (Fenac), a plateia vibrou. Também pudera: o grupo subiu ao palco dançando para receber o Troféu Lamartine Babo.

Pazin afirmou, emocionado, que o palco é o melhor lugar onde ele pode estar. O outro é o cantinho de casa onde compõe. “Pela segunda vez, chego à final do Fenac. É uma emoção muito grande, até porque nunca fiz uma canção pensando em festival. Faço porque é a minha vida”, afirmou o artista de Chapecó, cidade de Santa Catarina. 'Kd o ç de vc' surgiu depois do impasse com uma parceira. “Fiquei chateado e meu amigo Edu Capello me pediu para esquecer aquilo. Na conversa, soltei a frase que virou o refrão da nossa música. Ela fala de confiança”, contou Márcio.

Diego Moraes, integrante da banda do catarinense, não conseguia conter a alegria. Os músicos moram juntos em São Paulo, onde dividem um apartamento e um estúdio musical. Para ele, a irreverência das roupas coloridas e os instrumentos inusitados, como o megafone que levou para o palco, ajudaram a cativar a plateia em Boa Esperança.

“É tudo muito louco. A alegria da sala da nossa casa é verdadeira, e foi isso que a gente trouxe para Minas. Cantamos a nossa verdade. É muito gratificante saber que conseguimos transmitir toda essa magia para as pessoas”, comemorou Diego.

Solidário, ele torcia muito por Paulo Monarco e Dandara, de Cuiabá, que defenderam a música 'Ame', a segunda colocada. “Conheci os dois em um festival, eles são incríveis. Foi amor à primeira música”, contou Diego. Em terceiro lugar ficou 'Vai em casa', de Márcia Cherubin, representante de Santo André (SP).

'Amor em si' (Luciane Maria Lopes/ Sonekka) foi interpretada por Marcelo Barum. O paulista de Mirassol levou para a casa o prêmio de melhor cantor. Coração de estradeiro deu a Luis Dillah e Valéria Pisauro o prêmio de canção mais comunicativa.

Em quarto lugar ficou 'Brejeira', interpretada pelo cearense Eudes Fraga. A quinta colocação coube a 'Lágrima de amor' (Tié Alves e Daniella Alcarpe), de São Paulo. Entre as 10 classificadas ficou 'Manhã serena', de Diorgem Júnior, de Governador Valadares. No ano passado, ele ficou em segundo lugar e levou o prêmio de música mais comunicativa.

Estreia O Fenac marcou a estreia do carioca Matheus von Kruger em festivais. A canção 'Sempre tem céu azul' foi classificada. “Estou encantado. Fechei o meu consultório de psicologia para me dedicar à música. Passei uma temporada em Nova York e lancei DVD. Isso aqui foi muito lindo”, afirmou.

O 44º Fenac distribuiu R$ 220 mil em prêmios. Foram inscritas três mil canções de 18 estados. “Há tempos acabou aquele rótulo de música de festival. O sucesso do Fenac se deve o fato de ele abarcar todos os estilos, apostando no intercâmbio de artistas. Nosso objetivo é dar oportunidade a grandes talentos do país. Pena que eles sejam ainda desconhecidos”, disse Gleizer Naves, coordenador do evento.
 
Ouça 'Kd o ç de vc', de Márcio Pazin e Edu Capello, vencedora do 44º Festival Nacional da Canção:
 
 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA