Sérgio Santos recebe Tutty Moreno no Museu de Arte da Pampulha

Repertório de sambas, frevos, marchas e toadas será tocado apenas com voz, violão e bateria

por Ana Clara Brant 05/09/2014 07:30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação
(foto: Divulgação)
Apesar de se conhecerem há muitos anos, o cantor, compositor e violonista mineiro Sérgio Santos e o baterista e percussionista baiano Tutty Moreno nunca se apresentaram somente os dois no palco. Finalmente este encontro inédito vai acontecer domingo no show 'Cordas e batuques', no Museu de Arte da Pampulha. “Já tocamos várias vezes, mas com outros músicos junto. Nossa relação musical é intensa e para o som que faço considero o Tutty indispensável”, comenta Sérgio.

O cantor teve que partir da instrumentação para escolher o repertório. Como a apresentação é apenas voz, violão e bateria, Sérgio Santos selecionou músicas que se encaixassem neste formato, entre sambas, frevos, marchas e toadas. Ou seja, algo que tivesse uma relação com essa sonoridade. “A bateria tem uma intensidade muito alta, então ela tem que ser muito sutil para não se sobrepor à voz e ao violão. É um show mais delicado e estou muito animado. Essas coisas inusitadas me movem muito e o fato de ser num lugar como o Museu da Pampulha, que tem um clima mais intimista, permite que essas sutilezas apareçam”, analisa.

Praticamente todo o set list é fruto da parceria entre Sérgio Santos e Paulo César Pinheiro, incluindo algumas faixas do disco 'Rimanceiro', lançado no ano passado. Aliás, mesmo morando em cidades diferentes, quantitativamente, Sérgio é o artista que mais criou canções ao lado de Paulo César, cerca de 250. “Neste show de domingo vamos ter músicas desde o meu primeiro disco até este último, então não deixa de ser uma comemoração desses 20 anos de parceria com o PC”, exlica.

A única composição que não é de autoria da dupla é 'Paciência', assinada por Sérgio Santos e Joyce, que é justamente a mulher de Tutty Moreno. “Por isso vai estar tudo em casa. Nós a compusemos há três semanas e a música tem a ver com essa questão da paciência com as redes sociais. Domingo vai ser a primeira vez que vamos tocá-la e tenho certeza de que vai ser uma estreia bem interessante”, anseia o artista.

DOMINGO NO MUSEU

Domingo, às 11h, no Museu de Arte da Pampulha (Avenida Otacílio Negrão de Lima, 16.585, Pampulha). Ingressos a R$ 20 e R$10 (meia-entrada). Informações: (31) 3222-5271

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA