Demônios da Garoa se apresentam ao lado do grupo Puramornia em BH

Show será promovido no Espaço Cultural Purarmonia, no Bairro Castelo

por Ana Clara Brant 04/09/2014 07:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Sérgio Massa/Divulgação
Demônios da Garoa faz única apresentação nesta quinta-feira, no Espaço Cultural Purarmonia (foto: Sérgio Massa/Divulgação)
Já tinha um tempinho que o Demônios da Garoa não se apresentava em Belo Horizonte, mas, para a felicidade dos fãs da capital, o grupo paulistano que tem 71 anos de carreira vai fazer show na casa de espetáculos Purarmonia, no Bairro Castelo, na Região da Pampulha.

“Temos feito muitos shows no interior de Minas e na região metropolitana. Outro dia mesmo, estivemos em Betim e Caetanópolis, no festival em homenagem a Clara Nunes, mas em BH já não aparecemos há alguns anos. Estava passando da hora de voltar à cidade”, comenta o vocalista e violonista Wilder Paraizo, o Dedé, que, inclusive, é belo-horizontino.

Há uma década no conjunto, ele é o primeiro integrante de fora de São Paulo da história do Demônios e revela que tem um gostinho todo especial tocar e cantar na terra natal, mesmo morando há quase 30 anos na capital paulista. “Gosto muito de BH. Nasci aí e não deixa de ser uma emoção muito forte, apesar de não ter mais parentes morando na cidade”, diz.

Disco recém-lançado e elogiado pela crítica, Um samba diferente (Biscoito fino) é o primeiro em 15 anos praticamente só de inéditas. E boa parte das faixas são criações justamente de Dedé. “Vamos mostrar algumas canções deste CD, já que estamos em turnê com esse trabalho, caso da música que batiza o álbum, Um samba diferente, e Coral de anjos, e é claro que não vão faltar os clássicos”, acrescenta.

Trem das onze, Malvina, Tiro ao álvaro, Saudosa maloca e Samba do Arnesto estarão certamente no repertório de hoje à noite. Além de Dedé, fazem parte do Demônios da Garoa, Sérgio Rosa (afoxé), Ricardinho (pandeiro) – que é filho de Sérgio, e já é da terceira geração do grupo –, Canhotinho (cavaquinho) e Izael (timba).

Calouros Considerado o grupo mais antigo em atividade da América Latina – e há quem diga que de todo o mundo –, o conjunto paulista surgiu na década de 1940 com o nome de Grupo do Luar, fundado por Arnaldo Rosa.

Em 1943, cantando pela primeira vez no rádio, venceu o concurso de calouros chamado A hora da bomba, da Rádio Bandeirantes, de São Paulo. Foi então que o quinteto mudou de nome, por iniciativa do locutor Vicente Leporace, entusiasta do grupo, que promoveu uma consulta entre os ouvintes para que fosse escolhido um novo nome.

Entre as sugestões, foi escolhido Demônios da Garoa, sugestão de um ouvinte não identificado até hoje. Vale lembrar que Leporace, ao anunciar o regional em seu programa, costumava chamá-los de “os endiabrados” do Grupo do Luar. O Demônios é famoso por interpretar de forma singular as canções de Adoniran Barbosa.

DEMÔNIOS DA GAROA
Abertura com o grupo Puramonia. Nesta quinta-feira, a partir das 20h. Espaço Cultural Purarmonia, Av. Heráclito Mourão de Miranda, 2.230, Castelo. Ingressos: R$ 40. Informações: (31) 8492-8033.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA