Ceumar apresenta 'Silencia', seu sexto álbum, em show no Teatro Bradesco

Mineira de Itanhandu, cantora mora na Holanda desde 2009, onde conseguiu finalizar seu último trabalho

por Eduardo Tristão Girão 20/08/2014 09:23

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
M. Edilberto/Divulgação
A cantora Ceumar é mineira, nascida em Itanhandu, mas virou uma cidadã do mundo graças à música (foto: M. Edilberto/Divulgação )
Mineira de Itanhandu, a cantora e compositora Ceumar trocou o Brasil pela Holanda em 2009. De lá pra cá, não precisou se reinventar como artista, mas teve de reaprender um pouco do modus operandi do outro lado do Atlântico. Nada assim tão complicado, tanto que conseguiu concluir Silencia, seu sexto álbum, com um pé lá e outro cá. A sonoridade do novo trabalho será apresentada por ela hoje à noite, no Teatro Bradesco, em Belo Horizonte.


“Não tive pressa. Ter ido para a Holanda foi muito marcante e significativo para mim”, avalia a cantora. “Precisei de um tempo para me adaptar e me ver como artista fora do meu país. Tive de criar formas de continuar minhas parcerias. Em dois anos, comecei a delinear o disco e fui pescando as letras. Como fui contemplada por um projeto de incentivo à cultura de São Paulo, isso possibilitou que eu viesse gravar no Brasil e disponibilizasse o disco para download gratuito no meu site.”


Mas não é só isso. Quando já estava na Europa, Ceumar foi convidada a cantar com orquestras em Budapeste e Berlim e isso despertou nela o desejo de explorar a veia lírica no novo disco. Aí, entra em cena o violoncelista francês Vincent Ségal, que assinou a direção musical e tocou em quase todas as faixas. “Ele trouxe esse lirismo e uma visão mais camerística”, conta Ceumar. “O som dos instrumetos acústicos foi captado quase como num concerto de câmara. Fizemos tudo ao vivo.”


A internet foi fundamental para que Ceumar consolidasse o repertório, formado por 13 faixas. Gildes Bezerra, poeta paraibano radicado em Minas, é o parceiro mais frequente, assinando com ela as canções Rio Verde, Liberdade e Penhor. Mineiros de nascimento, Sérgio Pererê e Déa Trancoso também marcam presença, dividindo com Ceumar Chora cavaquinho e Levitando, respectivamente – Ceumar e Pererê já haviam emplacado Gira de meninos no disco anterior dela, Meu nome (2009).

Roça Mesmo com todas as facilidades que Amsterdã pode oferecer, Ceumar confessa que não pretende morar lá definitivamente. “Quero morar na roça, tenho uma casinha em Itanhandu. Quero aproveitar ao máximo o aprendizado na Holanda e me sinto tranquila com minha música. Continuo fazendo o que gosto e a busca pelas minhas raízes foi ampliada”, afirma. A decisão de se mudar para lá foi tomada após conhecer o atual marido, que é um músico holandês.


Ceumar garante não ter problema nenhum com o Brasil e gostar muito do país, enxergando nas diferenças do cotidiano de músico lá e cá outro ponto positivo na sua experiência europeia dos últimos anos. “Lá existe uma conexão com o mundo, tenho amigos de todos os lugares. Musicalmente é muito rico. E não existe aquele glamour da profissão de músico. Não tem van, não tem roadie. A gente tem que saber se virar e ter que me posicionar nesse esquema do país tem sido bom para mim”, observa.

 

 

 

 

'Silencia'
Show de lançamento do disco de Ceumar. Hoje, às 21h, no Teatro Bradesco (Rua da Bahia, 2.244, Lourdes). Ingressos a R$ 40 e R$ 20 (meia-entrada). Informações: (31) 3516-1360.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA