Peças de compositores brasileiros integram o programa da Orquestra de Câmera Sesiminas

Grupo se dedica a formar público para o repertório erudito

por 14/08/2014 09:03

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Alessandro Carvalho/divulgação
O maestro Marco Antônio Maia Drumond vai reger a apresentação desta noite no Teatro Sesiminas (foto: Alessandro Carvalho/divulgação)
Nesta quinta, a Orquestra de Câmara Sesiminas vai apresentar repertório que exalta importantes compositores brasileiros: Claudio Santoro, Eduardo Guimarães Álvares, César Guerra-Peixe, Edino Krieger e Heitor Villa-Lobos. “Temos que escolher obras adequadas à nossa orquestra. Por isso, o repertório privilegia peças compostas para cordas, apesar de esses autores terem um trabalho bem vasto”, afirma o maestro titular, Marco Antônio Maia Drumond.


Ponteio, do amazonense Claudio Santoro (1919-1989), abre o programa. Trata-se de uma obra de caráter nitidamente nacionalista. A peça Jogos de antifonias para piano e cordas, do mineiro Eduardo Guimarães Álvares (1959-2013), terá como solista o irmão do autor, o pianista Paulo Álvares. “Eduardo trabalhou conosco, foi presidente da Fundação Clóvis Salgado e era bem atuante. Não deixa de ser uma homenagem a ele”, comenta Marco Antônio.


O centenário de nascimento do fluminense César Guerra-Peixe (1914-1993) será lembrado com a execução de Petrópolis de minha infância, composição de cunho memorialista. A segunda parte do programa começa com Divertimento para cordas, do catarinense Edino Krieger, de 86 anos. A Bachiana nº 9, de Heitor Villa-Lobos (1887-1959), encerra a noite.


Criada em 1986 e ligada à Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), a Orquestra de Câmara Sesiminas se dedica a concertos didáticos destinados a industriários e a divulgar o repertório camerístico. Ela participa também de projetos ligados à música popular. Nos dias 23, 24 e 30, o grupo vai se apresentar com Skank, Vander Lee, Maria Gadú e Diogo Nogueira durante a Olimpíada do Conhecimento, no Expominas.

ORQUESTRA DE CÂMARA SESIMINAS
Quinta, às 20h30. Teatro Sesiminas, Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia. Ingressos: R$ 5 (inteira) R$ 2,50 (meia). Informações: (31) 3241-7181.

Personagem a notícia: Eduardo Guimarães Álvares, compositor

Em família

Esta noite terá um momento especial: a apresentação de Jogo de antifonias (1988), do mineiro Eduardo Guimarães Álvares (1959-2013), interpretada por seu irmão, o pianista Paulo Guimarães Álvares, de 53 anos. Eduardo deixou contribuições fundamentais para a música contemporânea em BH, compondo obras pioneiras e organizando ciclos de concertos. Paulo trabalha na Alemanha. Professor da Escola Superior de Música de Colônia, tem extensa carreira dedicada ao repertório experimental. Ele explica que Jogo de antifonias é uma elegia para piano e orquestra: “Peça de linguagem sombria, áspera e dissonante, ela tem escrita econômica e muito singular”. Eduardo (foto) a compôs quando tinha 27 anos.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA