Pato Fu promete surpresas para show domingo no Sesc-Palladium

Banda vive a expectativa do lançamento de novo disco em outubro

por Ailton Magioli 10/08/2014 07:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Eugênio Gurgel/EM/D.A. Press
Os fãs esperam que o Pato Fu confirme a sina de uma banda que soa melhor ao vivo que em estúdio (foto: Eugênio Gurgel/EM/D.A. Press )
Enquanto outubro não chega para os fãs poderem conferir o novo disco de inéditas do Pato Fu, o guitarrista e produtor John Ulhoa vai liberando o que classifica de “lascas” nas redes sociais e no site oficial da banda (www.patofu.com.br). Atração de domingo à noite no Grande Teatro do Sesc-Palladium, a banda promete um passeio pela própria trajetória, sem deixar de fora musicas como 'Sobre o tempo', 'Canção pra você viver mais', 'Perdendo dentes', 'Antes que seja tarde' e 'Made in Japan'.


As “lascas” a que se refere John são na verdade vídeos instrumentais de 15 segundos de duração, captados em som direto no próprio estúdio onde o Pato Fu acabou de gravar o CD. Detalhes do disco propriamente dito ele se nega a antecipar para não comprometer o show de domingo. Em uma das postagens recentes no site do grupo, o guitarrista reuniu cinco “lascas” para degustação dos fãs.

A saída do baterista Xande Tamietti, que foi cuidar dos projetos pessoais Preto Massa e Krobya, pelo visto ocorreu sem traumas. Atualmente formado por Fernanda Takai (voz, violão e guitarra), John Ulhoa (guitarra, violão, programação, voz e cavaquinho), Ricardo Koctus (baixo, vocal e pandeiro), Lulu Camargo (teclados, piano e acordeom) e o novato Glauco Nastácia, o Pato Fu vai adiante.

“Sempre há uma pegada diferente, mas os dois são os melhores bateristas do Brasil. Eles são espetaculares”, derrete-se John Ulhoa, chamando atenção para o fato de Xande ser “mais black”, enquanto Glauco seria “ligeiramente mais rock n’roll”. E conclui: “Estamos muito bem-servidos com o Glauco”.


Ousadia pouca é bobagem
As novas canções do Pato Fu são, na maioria das vezes, de autoria de John Ulhoa. “Mas tem do Ricardo Koctus e parcerias, também”, avisa o guitarrista, compositor e produtor. O novo trabalho foi antecedido do incensado Música de brinquedo, com discos em estúdio e ao vivo, de 2010 e 2011, e da trilha de As aventuras de Alice no país das maravilhas, do ano passado, que John compôs para o espetáculo do Grupo Giramundo.

“Passei o dia em BH, no estúdio 128 Japs, do Pato Fu, gravando minha participação no novo disco da banda. Adorei o convite e a música que gravei é o bicho... boa pra cachorro! O disco deve sair em outubro, aguardem!”, postou o cantor Ritchie em seu site oficial, há um mês. John confirma a participação do anglo-brasileiro no CD, mas não dá detalhes.

O certo é que o disco chega depois de um projeto ousado (Música de brinquedo), que poderia ter dado errado, lembra John,. “Uma banda pop-rock fazer projeto infantil?…”, se surpreende, como que justificando a preocupação já superada pelo sucesso do trabalho que rendeu ao Pato Fu um Disco de Ouro (mais de 40 mil cópias vendidas), além de um Grammy Latino.

Com direito a registro em DVD, de acordo com John ele se transformou em show de repertório diferenciado da banda, de vida longa e que não depende da famigerada música de trabalho nas rádios. A carreira solo da vocalista Fernanda Takai, segundo ele, também só estaria contribuindo para atrair mais fãs para o Pato Fu.

PATO FU
Domingo, às 19h, no Grande Teatro do Sesc-Palladium (Rua Rio de Janeiro, 1.046, Centro). Ingressos entre R$ 10 a R$ 30. Os trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo têm 15% de desconto no valor da inteira. Informações: (31) 3270-8100.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA