Praça do Papa recebe festival 'I Love Jazz' nesta sexta-feira

Atrações nacionais e internacionais são aguardadas no evento que vai até domingo

por Ailton Magioli 08/08/2014 08:44

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Martin Gleit/Divulgação
Harry Allen (foto) tem encontro marcado com Scott Hamilton sábado à noite no palco do I Love Jazz (foto: Martin Gleit/Divulgação)
A associação do gênero com a dança dá o tom à sexta edição do Festival Internacional I Love Jazz, que volta a privilegiar o som tradicional, desta sexta até domingo, na Praça do Papa. Para se ter uma ideia da importância da união das duas manifestações, a curadoria do evento, a cargo do músico Marcelo Costa, resolveu oferecer mais uma vez ao público aulas de lindy hop antes dos shows. A dança, que surgiu no Harlem, em Nova York, entre 1920 e 1930, mistura breakaway, charleston e sapateado, numa mescla cheia de energia, musicalidade e diversão. O grupo mineiro BeHoppers será responsável pelas aulas.


A música continua sendo a grande atração do já consagrado festival, que vem atraindo cada vez mais público. Este ano, Marcelo Costa aposta em atrações de peso e promove encontro inédito entre os norte-americanos Scott Hamilton e Harry Allen (sax tenor), acompanhados de banda inglesa, em uma “verdadeira batalha de sax.” “São dois craques do instrumento, que priorizam um som muito elaborado”, elogia o curador, chamando atenção para o último show da noite de amanhã do The Scott Hamilton Quartet com Harry Allen.

No domingo, ele destaca a presença da louraça Taryn Szpilman, brasileira de origem russa, alemã e polonesa, neta do músico Wladyslaw Szpilman, que inspirou o personagem de 'O pianista', filme de Roman Polanski. Cantora de timbre poderoso, ela interpreta do jazz ao blues, reforçando a importância da origem na formação artística. Taryn representa a quinta geração da família, cujo pai criou a tradicional big band Rio Jazz Orchestra, que ela dirige hoje.

Se a questão é presença forte, o público também não perde por esperar a abertura do festival, nesta sexta, a cargo da uruguaia Maria Noel Taranto. Conhecida pela força cênico-musical, ela está de volta ao I Love Jazz e promete relembrar a musa Ella Fitzgerald. Este ano, a América Latina também marca presença no festival por meio dos argentinos da Creole Jazz Band.

Entusiasmado com o crescente material que vem recebendo de solistas, bandas e grupos interessados em participar do festival, Marcelo Costa lembra que enquanto o Brasil normalmente privilegia o jazz mais contemporâneo, os hermanos argentinos e uruguaios têm tradição jazzística maior, pelo fato de ouvirem o gênero nos cabarés, onde o tango, por exemplo, se misturava ao fox-trote. “No Brasil, não. Primeiro, foi a gafieira; depois, o choro e o samba. O jazz não tinha público por aqui. Só depois da bossa nova tivemos ligação maior com o jazz”, explica.



JIMENA MOLINA/DIVULGAÇÃO
A uruguaia Maria Noel Taranto abre a sexta edição do I Love Jazz (foto: JIMENA MOLINA/DIVULGAÇÃO)
O QUE VER

Sexta
» 19h – Maria Manoel Taranto (URU)
» 20h30 – Creole Jazz Band (ARG)

Sábado
» 16h – Aula de dança Lindy hop
» 17h – David Kerr e Canastra Trio (BRA)
» 18h45 – Swiss College Dixie Band (BRA)
» 20h30 – The Scott Hamilton Quartet com Harry Allen (EUA)

Domingo
» 16h – Aula de dança Lindy hop
» 17h – Magnólia Brass Band (BRA)
» 18h45 – Taryn (BRA)
» 20h30 – Mark Lambert & Orquestra Radio Swing (BRA)

 

Os convidados

 

» Be Hoppers – Entusiastas do lindy hop criaram em 2012, em BH, um grupo para divulgar as swing dances e contribuir para a criação de eventos voltados para o estilo. Com o nome inspirado nas iniciais da capital mineira, eles promvoem a cena hopper e o swing jazz na cidade e no estado, agregando cada vez mais gente.

» Creole Jazz Band
– Fundada em 1957, a Creole Jazz Band é um dos grupos mais importantes do jazz latino-americano. Apresentou durante 22 anos consecutivos (de 1984 a 2005) no Café Tortoni, em Buenos Aires, um dos maiores símbolos da cultura portenha. Lançou oito discos e recebeu prêmios importantes como o La orden del pocillo del Café Tortoni.

» David Kerr & Canastra Trio
– David Kerr & Canastra Trio revivem as maiores canções do Great american songbook, reinterpretando seus standards e sucessos de nomes como Frank Sinatra, Tony Bennett, Chet Baker e Nat King Cole. O trio é formado pelo pianista Rodrigo Braga; o contrabaixista Gustavo Sato; e o baterista Eduardo Nali.

» Harry Allen – O saxofonista tenor norte-americano está sempre presente em festivais de jazz e clubes do gênero em todo o mundo. Já dividiu palco, entre outros, com Rosemary Clooney, Jay Geils, Ray Brown, Hank Jones, Frank Wess, Flip Phillips e James Taylor. Destaque em gravações de John Pizzarelli, incluindo a trilha sonora e uma ponta no filme Perdidos em Nova York, ele já estrelou vários comerciais para TV.

» Magnólia Brass Band
Traz para o palco o clima do Mardi gras, o carnaval de New Orleans (EUA), cidade conhecida como berço do jazz. A apresentação, em formato de cortejo, convida o público a apreciar a boa música de forma divertida e muito bem humorada. A banda é formada por 15 músicos.

» Maria Noel Taranto
– Dama do jazz, a uruguaia atua com sucesso também em gêneros como Broadway e chanson francesa, além de blues e gospel. Dividiu o palco com músicos internacionais como Paquito D’Rivera, Popo Romano, Osvaldo Fattoruso, Valeria Lynch, Alfredo Monetti e Memphis Jazz Band. É conhecida por sua forte presença de palco, com um estilo voltado para a musa do jazz Ella Fitzgerald.

» Mark Lambert & Orquestra Radio Swing – O cantor, guitarrista e arranjador norte-americano Mark Lambert lidera um grupo de grandes instrumentistas brasileiros, a Orquestra Radio Swing. O grupo é influenciado pelo jump swing, fusão entre o jazz e o rhythm & blues, que mistura a espontaneidade do jazz improvisado com os ritmos dançantes do R&B.

» Scott Hamilton – Natural de Providence (Rhode Island), ele recebeu o prêmio Ronnie na categoria Saxofonista de Jazz Internacional em 2007. Gravou com Dave McKenna, Jake Hanna, Woody Herman, Tony Bennett, Gerry Mulligan e Ruby Braff, entre outros e gravou com bandas em turnê como a Concord Jazz All Stars, Concord Super Band e a Newport Jazz Festival All Stars, de George Wein. É um dos músicos mais requisitados em todo o mundo.

» Swiss College Dixie Band – Formada em 1975, por professores suíços radicados no Brasil para tocar o jazz estilo Dixieland, típico da cidade de New Orleans(EUA), tem apenas um remanescente da formação original, Heinz Brunner (piano). Defendem o jazz tocado com alegria.

» Taryn –  Brasileira de origem russa, alemã e polonesa, tem frequentado grandes festivais de jazz e blues no Brasil e no exterior como o Montreux Festival. Influenciada por nomes como Etta James, Billie Holliday e Ray Charles, Taryn é também diretora artística da Rio Jazz Orchestra, uma das mais importantes big bands em atividade no país. Dublou a princesa Elsa, protagonista do filme Frozen, da Disney.

FESTIVAL INTERNACIONAL I LOVE JAZZ 2014

De sexta a domingo. Praça do Papa, Avenida Agulhas Negras, s/nº, Mangabeiras. Classificação livre.
Entrada franca. Informações: www.ilovejazz.com.br.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA