40ª edição do Festival de Inverno de Itabira começa neste domingo

Programação incluí show de Jorge Ben Jor, Zizi Possi, Palavra Cantada, Nando Reis e Zeca Baleiro

por Estado de Minas 06/07/2014 00:13

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Bruno Soares/Divulgação
Jorge Ben Jor faz o show de abertura do Festival de Inverno de Itabira (foto: Bruno Soares/Divulgação)
A 40ª edição do Festival de Inverno de Itabira começa hoje com programação que promete. Até o dia 27, a cidade do poeta Carlos Drummond de Andrade tem programação intensa em torno do o tema “Da tradição à contemporaneidade: Encontro de tempos e artes’’. “É um compromisso que já virou a marca do evento: resgatar a cultura e as manifestações itabiranas e mineiras, ao mesmo tempo que instigamos no público a vontade de conhecer coisas novas”, ressalta Sônia Magalhães, coordenadora-geral do festival e superintendente da Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade.

Quem abre a festa é Jorge Ben Jor, que se apresenta a partir das 20h na Praça do Areão. Também na programaçã,o Zizi Possi (dia 11), Palavra Cantada (dia 12), Nando Reis (dia 18) e Zeca Baleiro (dia 27). Além da música, o programa inclui teatro, dança, artes plásticas e cinema. Entre os espetáculos, Aqueles dois, da Cia. Luna Lunera; 180 dias de inverno, da Cia. Afeta; Fábulas errantes, da Cia. Errantes de Teatro; e Par, do Grupo Ponto de Partida. Já a Cia. de Dança do Palácio das Artes apresentará Entre o céu e as serras. Nas artes visuais, destaque para artistas itabiranos e mineiros, com exposições dos artistas plásticos Genin Guerra e Jorge Fonseca, do pintor e desenhista Mário Zavagli, além de trabalhos de diversos fotógrafos.

“O poeta e museólogo Mário Chagas lançará dois livros. Fará o pré-lançamento de Museu, biodiversidade e sustentabilidade ambiental, sobre o papel dos museus na atualidade; e Língua de fogo ou antes que o mundo acabe, que reúne poesias sobre a luta contra a barbárie, caminhos e descaminhos da memória. Além dos lançamentos, o poeta vai comandar mesas de discussão sobre a importância do museu em cidades históricas.

Já no cinema, Sylvio Back lança nacionalmente o documentário O universo Graciliano, com sessão comentada sobre o filme pelo cineasta. Ele também realizará a Cinemateca Sylvio Back, com a exibição de cinco de seus aclamados filmes. Mais informações no site www.fccda.mg.gov.br.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA