Ouro Preto faz 303 anos e celebra data com atrações especiais, com entrada franca

Abertura das comemorações tem show do Lô Borges. Programação vai até o dia 11

por Walter Sebastião 04/07/2014 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pedro David/Divulgação
(foto: Pedro David/Divulgação)
Tocar em Ouro Preto é maravilhoso. É uma cidade linda, cheia de história, com belezas naturais, no meio da serra, com muitas ladeiras. Sempre fico feliz e volto inspirado”, conta Lô Borges. Um show dele, nesta sexta-feira, no Rosário, integra o programa de comemorações dos 303 anos da antiga Vila Rica. A celebração segue até dia 11, ocorre em vários locais, e prevê atrações diárias, sempre com entrada franca. Participam da festa de aniversário o Teatro Mágico, Paulinho Moska, Marina de La Riva, Primeiro Ato, Pedro Morais e Caffeine Trio, Ana Larousse e Leo Fressato.


Lô Borges está curtindo o momento em que ganhou songbook com 55 canções, reunindo desde as obras antológicas a trabalhos recentes. E realiza show com o mesmo perfil. Produção nova são as canções Quem sabe isso quer dizer amor, Qualquer lugar, Segundas normas intenções. Das antigas apresenta Trem azul, Como um girassol da cor do seu cabelo e Para Lenon e McCartney. “Todas as minhas canções habitam o meu espaço emocional e afetivo, são irmãs, já que têm o mesmo autor”, observa. Acrescenta que, por isso mesmo, pode colocar o novo e antigo, lado a lado, sem conflito.

Com relação ao perfil criativo dele, Lô Borges, afirma que é “totalmente musicista” e letrista bissexto. Isto é: música, harmonia e melodia são a praia dele; as letras são de parceiros como Ronaldo Bastos, Márcio Borges, Fernando Brant e Tavinho Moura entre outros. “E adoro cantar. Em estúdio é meio frio, mas, com plateia é o que mais gosto de fazer”, conta. Anda vaidoso porque ganhou elogios de Milton Nascimento, com quem está fazendo shows. “Tenho procurado cantar com boa dicção, com emoção e na raça, mesmo sendo considerado compositor”, observa.

Lô está satisfeito com o songbook. “Fiz e continuo fazendo muita coisa. É muito bom sentar no piano, ou pegar o violão, e virem coisas novas. São presentes que recebo”, afirma. Ele está mais voltado para o violão, mas continua adorando a guitarra. “Quando chega a hora de tocar, fico que nem criança. Guitarra tem sonoridade inconfundível”, observa. Lô sobre ao palco com banda com a qual vem tocando há uma década, formada por Barral Lima (teclado e vocais), Henrique Mateus (guitarra e vocais), Renato Valente (baixo) e Robinson Matos (bateria).

Já houve quem dissesse a ele que o grupo tem um som mais pesado que o habitual. “Prefiro dizer e que é uma banda com som mais vigoroso, sem deixar de lado a delicadeza e a sofisticação”, observa. Explica que, de fato, interessa a ele, no momento uma pegada quase rock. “Afinal, sou apenas um rapaz que amava os Beatles e os Rolling Stones”, brinca. “Rock é eterno, como é eterna a bossa nova”, acrescenta, avisando que a música que faz tem muitas referências.

Semana de Ouro Preto
De sexta ao dia 11, em vários locais de Ouro Preto. Shows de Lô Borges, Teatro Mágico, Paulinho Moska, Marina de La Riva, Primeiro Ato, Pedro Morais e Caffeine Trio, Ana Larousse e Leo Fressato. Entrada franca. Informações: www.ouropreto.mg.gov.br.

» Sexta
Palco Rosário

19h30 – Solenidade de abertura
20h – Sonorata
22h – Lô Borges

» Sábado
Largo São Francisco
17h – Teatro de Rua – Cia Primeiro Ato – Pequenos Atos de rua
22h – Marina Machado

» Domingo
Palco Antônio Dias
15h – Cortejo CircenseLargo de São Francisco
17h – Cabaré Circense

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA