Professora e regente Claudia Cimbleris lança hoje sua tabela de instrumentação

Tabela vai servir para orientar pesquisadores que se interessam pela música erudita

por Eduardo Tristão Girão 02/07/2014 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Ana Cimbleris/Divulgação
Para facilitar as consultas, Claudia Cimbleris optou por usar uma linguagem simples e coloquial (foto: Ana Cimbleris/Divulgação )
A diagramação e a linguagem são de tão clara compreensão que às vezes é difícil acreditar que a Tabela Cimbleris de Instrumentação foi pensada para auxiliar tanto o músico iniciante quanto um professor ou maestro. Elaborada pela professora e regente Claudia Cimbleris, ela sintetiza informações sobre instrumentos orquestrais como fagote, saxofone, tuba, marimba, harpa e violoncelo. O objetivo é tornar mais prática a consulta de quem precisa de orientação na área. O lançamento será hoje à noite, na Sala Juvenal Dias do Palácio das Artes, em Belo Horizonte, com bate-papo com a autora.


“Sempre tentei otimizar o trabalho e entregar o ouro aos meus alunos. Sempre fiz umas tabelas dessas nos meus cursos, mas informalmente”, conta Claudia. No 1º Seminário Brasileiro de Música Instrumental, realizado em Ouro Preto há quase 30 anos, ela criou a primeira versão dessa tabela, que se tornou referência para alunos e profissionais participantes do evento – e é usada até hoje por músicos como Marco Antônio Guimarães, do grupo Uakti.


“Nunca fiz uma revisão nela. Aliás, nunca tinha lido nem consultado a minha própria tabela. Achei frases geniais e simples que talvez eu não usasse hoje, mas encontrei também alguns erros”, afirma Claudia. O formato definitivo foi pensado como um impresso para ser desdobrado como um mapa ou jornal. Agrupados pelas famílias (madeiras, saxofones, metais, percussão, cordas, cada uma com uma cor de fundo), os instrumentos contam com descrições sobre timbre, aspectos técnicos e peculiaridades de execução.

IMPULSO
“Preocupei-me em manter uma linguagem coloquial, não queria aquela coisa acadêmica”, conta Claudia Cimbleris. “Foi difícil escrever de forma simples, mais do que se fosse formal. Quero que todo mundo aprenda, quero simplificar, desmistificar. A tabela é voltada para qualquer um que queira escrever para qualquer formação. Ela é o impulso para ir além. O músico brasileiro tem grande talento, mas fica muito limitado ao conhecimento que lhe é dado.”


Com tiragem de 14 mil exemplares, a tabela foi viabilizada por meio do Fundo Municipal de Incentivo à Cultura e será distribuída gratuitamente em Belo Horizonte. Ela está disponível em escolas de música, bibliotecas, associações, fundações e centros culturais, num total de 13 endereços, incluindo o Palácio das Artes.



Tabela Cimbleris de Instrumentação
Lançamento e bate-papo com a autora. Hoje, às 16h, na Sala Juvenal Dias do Palácio das Artes (Av. Afonso Pena, 1.537, Centro). Informações: (31) 3236-7400

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA