DJ Fatboy Slim apoia protestos contra a Copa, desde que pacíficos

Músico inglês se prepara para uma série de shows no país incluindo apresentação em BH

por Agência Estado 17/06/2014 08:57

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Reprodução
(foto: Reprodução)
Norman Cook, ou Fatboy Slim como é conhecido, é o DJ internacional que mais caiu no gosto do público brasileiro nos últimos 15 anos. Desde que realizou sua festa na Praia do Flamengo, com público recorde de 360 mil pessoas em 2004, ele carimba o passaporte ao menos três vezes por ano no País, se apresentando em todos os lugares: do Big Brother até o carnaval de Salvador.

Hoje, aos 50 anos, ele confessa que a vida é muito mais fácil “quando você não trabalha bêbado e não faz festa por dois dias seguidos”. Talvez como agradecimento, seu novo disco homenageia o País. Bem Brasil é dividido em dois álbuns.

Clássicos da MPB como O Cavaleiro e os Moinhos, de Elis Regina, ou Toda Menina Baiana, de Gilberto Gil, ou Taj Mahal, de Jorge Ben Jor, estão no álbum mixados por Fatboy e seus colegas. Para mostrar a sua paixão, ele refez um de seus grandes sucessos: Weapon of Choice, em uma versão Olodum.

Em entrevista em Londres, antes de seguir para o Brasil, onde fará uma série de shows, ele confessa que se sente mais famoso no País do que na Inglaterra e concorda com as manifestações contra a Copa, “se não houver violência”.

Quanto a música-tema da Copa no Brasil apresentada por Jennifer Lopez e Pitbull, além de Cláudia Leitte. Ele disse achar que "essa música é algo corporativo, que nada tem a ver com o Brasil. Encorajo os brasileiros a desligar a TV durante os intervalos dos jogos e ouvir a música nacional. Não quero atacar a Fifa. Eu também sou gringo, como eles, mas acho que o Brasil merece algo melhor".

Quanto as manifestações ocorridas no País, o DJ aponta que os trabalhadores da área de transporte, professores e outros têm um bom argumento. "E esse é o melhor momento para demonstrar a insatisfação. Contanto que seja sem violência, não sou contra. É bom os estrangeiros verem as disparidades do Brasil."

O DJ disse também ser mais famoso no Brasil do que na Inglaterra. "Sou mais reconhecido no Brasil. Mas é bom poder andar nas ruas na Inglaterra e não ser incomodado. No Brasil, é mais difícil. O problema é que não falo português", concluiu."
 
Fatboy Slim faz cinco shows no Brasil durante a Copa do Mundo. As apresentações serão em São Paulo (dois shows), Florianópolis, Brasília e Belo Horizonte. Na capital o DJ se apresenta no festival BH Dance Fest, nesta quinta-feira. No site oficial do músico uma pequena gafe: o show de BH está sendo divulgado como se fosse ocorrer no Mato Grosso.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA