Coral Lírico de Minas Gerais encerra programação do primeiro semestre

Apresentação acontece no Museu Inimá de Paula nesta quarta-feira e tem entrada franca

por Carolina Braga 11/06/2014 09:14

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Paulo Lacerda/Divulgação
O maestro Lincoln Andrade destaca a evolução do conjunto: %u201CUm processo de construção de sonoridade%u201D (foto: Paulo Lacerda/Divulgação)
Com uma audição inédita de 'Cantante domino', de Vytautas Miskinis, o Coral Lírico de Minas Gerais encerra hoje o primeiro semestre de apresentações da série Lírico na cidade. “Foi um semestre de consolidação. Como recebemos novos cantores, oriundos de concurso, começamos a fazer um trabalho de solidificação das vozes. Foi um processo de construção de sonoridade”, explica o maestro Lincoln Andrade.

A apresentação desta noite será a demonstração de tudo isso. Como o objetivo também é testar os limites do coral e expandir seu repertório, também fazem parte do repertório peças sacras como Miserere mei, de Gregorio Allegri, além de obras populares e jazzísticas. A diferença é que anteriormente o repertório sempre girava em torno de peças operísticas. Agora é a vez de mesclá-las com composições contemporâneas.

Perdão e culpa

'Cantante domino', de Vytautas Miskinis, foi composta em 2001. Ao mesmo tempo, o programa vai apresentar a tradicional 'Miserere mei', de 1630. A composição é uma versão do 'Salmo 51', que fala sobre perdão e culpa. Era executada, com exclusividade, na Capela Sistina durante as matinas, na quarta e sexta-feira da Semana Santa. “É essa amplitude que estamos pensando em explorar. Não queremos ficar só nos séculos 18, 19, como o coro antigamente se resumia”, explica Lincoln.

O repertório desta noite também tem o moteto 'Ich aber bin elend', parte da obra Drei Motteten, do alemão Johannes Brahms, interpretado por dois corais. Outra canção incluída no roteiro é 'The lamb', de John Tavener. O Coral Lírico também apresentará o coro à capela de 'Come sunday', versão arranjada por Anders Jackeus dos concertos sacros de Duke Ellington. Em seguida, a procissão final do primeiro ato da ópera 'Cavalleria rusticana', de Pietro Mascagni, e a 'Missa brevis II in honorem S. Francisci Assisiensis', do compositor ouro-pretano Ernani Aguiar.

O Coral Lírico de Minas Gerais tem atualmente 60 cantores em sua formação. Para o segundo semestre, os planos do regente é continuar a pesquisa sobre obras contemporâneas para coro. A próxima apresentação está marcada para 19 de julho e será dedicada à atual produção inglesa. “A Inglaterra é o berço atual da música europeia. Tem uma indústria editorial forte que edita muitas partituras renovando, assim, o repertório”, justifica Lincoln Andrade.

CORAL LÍRICO DE MINAS GERAIS
Nesta quarta, às 20h. No Museu Inimá de Paula (Rua da Bahia, 1.201, Centro). Entrada franca. Informações: (31) 3236-7400

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA