Humberto Gessinger grava em BH o DVD de carreira paralela aos Engenheiros do Hawaii

Cantor promete noite de muito rock n' roll e grandes sucessos da carreira no Chevrolet Hall

por Walter Sebastião 30/05/2014 08:55

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Gláucio Ayala/Divulgação
"Quando a gente é jovem, as guitarras e o baixo dominam a gente. Com o tempo aprendemos a dominar os instrumentos" Humberto Gessinger, músico (foto: Gláucio Ayala/Divulgação)
Quem grava o DVD Insular em Belo Horizonte, com show que ocorre hoje, às 22h, no Chevrolet Hall, é o cantor e compositor Humberto Gessinger. Estará no palco power trio formado por Humberto (baixo, teclados, harmônica, acordeom), Rodrigo Tavares (guitarra) e Rafael Bisogno (bateria).

“Vai ser uma noite bem rock and roll, de encontro, quase celebração”, conta Humberto Gessinger, explicando que o repertório não está focado em um disco, mas na sua carreira. Traz, inclusive, trabalhos do início da trajetória, quando ele atuava no grupo Engenheiros do Hawaii.

Permanente na obra dele, como conta, é o gosto por habitar “espaço nebuloso” entre música e literatura, que está tanto nos discos quanto nos livros dele. “Como compositor gosto de relacionar palavras e melodias”, afirma. “Sou estradeiro, fico à vontade no palco, quer dizer: próximo aos fãs”, observa. O que se transformou, ao longo de décadas dedicadas à música, foi a técnica. “Quando a gente é jovem, as guitarras e o baixo dominam a gente, com o tempo aprendemos a dominar os instrumentos”, brinca. “Como jogador de futebol a gente perde o vigor físico, mas conhece os atalhos para o gol”, provoca.

As gravações do sexto DVD, em Belo Horizonte, como explica Gessinger, vão se somar a outras, com tom mais acústico, já feitas na Serra Gaúcha. “Não sou perfeccionista. DVD para mim é o registro do que ocorreu numa noite. Estamos bem preparados, mas como não se sabe como vai ser, fica alguma tensão”, conta. O fato de os ingressos estarem esgotados há mais de uma semana é surpresa para ele. “Sou daqueles que sempre têm medo de ninguém ir ao show. Acho até que insegurança faz bem à arte, porque estamos sempre com vontade de conquistar o público”, garante.

Insular, o disco mais recente de Humberto Gessinger, é seu 20º CD e o primeiro de inéditas depois de 10 anos. A turnê do projeto começou aqui mesmo, em Belo Horizonte, há mais de um ano. Em entrevista (ao programa Agenda), Gessinger, falando do nome do mais recente disco, explicou que se refere ao fato de todo artista criar universo próprio, “uma ilha”, mas com várias conexões. Ele afirma que pretende continuar construindo obra em diálogo com o mundo contemporâneo, mas sem apego a modismos: “Não levei 10 anos para fazer um disco que ficasse velho em 15 minutos”, avisa.

INSULAR
Show de gravação do DVD de Humberto Gessinger
Sexta, às 22h. Chrevrolet Hall, Avenida Nossa Senhora do Carmo, 230, São Pedro. Ingressos: R$ 120 (inteira) e R$ 60 (meia). Classificação: 16 anos (14 e 15 anos entram acompanhados dos pais ou responsáveis legais).

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA