Maranhense Alexandra Nicolas lança 'Festejos - Senhora das Candeias do Maranhão'

Obra conta com repertório assinado pelo compositor carioca Paulo César Pinheiro

por Ailton Magioli 25/04/2014 08:35

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Veruska de Oliveira/Divulgação
Alexandra Nicolas avisa que começará a viajar pelo Brasil e agosto para divulgar seu trabalho (foto: Veruska de Oliveira/Divulgação)
Depois da baiana Glória Bonfim, que dedicou o disco Santo e orixá/Anel de ouro à produção solitária do ex-patrão – antes de se lançar cantora ela foi cozinheira do compositor carioca –, agora é a vez de a maranhense Alexandra Nicolas lançar Festejos – Senhora das Candeias do Maranhão, com o qual faz sua leitura da alma feminina de Paulo César Pinheiro.


Afinal, que mulher é essa revelada pela música do compositor, um dos mais proficientes da cena MPB? “É a mulher rural, mesmo. É como se a gente fizesse uma viagem pelo interior do nosso estado e encontrasse lavadeiras, cantadoras, quebradeiras de coco, enfim, a mulher brejeira praticamente em extinção”, afirma Alexandra, que vai do samba à chula, passando pelo coco, samba de roda e outros ritmos brasileiros no CD com seis das 13 faixas assinadas solitariamente por Paulo César Pinheiro.

Segundo Alexandra, o projeto nasceu de um show que ela fez em 2009, no qual havia incluído a porção religiosa do compositor, cantada por Glória Bonfim. “Respeito o candomblé, mas não é a minha religião”, diz a católica, nascida e criada em um estado rico em sincretismo religioso.

RAÍZES Filha de mãe solteira, criada por três mulheres, Alexandra Nicolas diz ter-se encantado pelo universo feminino de Paulo César Pinheiro. “Costumo dizer que Paulo César canta a minha infância”, emociona-se a artista, que já foi inclusive Imperatriz do Divino Espírito Santo em São Luís, onde mora. Passada a Copa do Mundo, em agosto ela pretende iniciar pelo Rio de Janeiro a turnê de lançamento nacional de Festejos..., elogiado pelo próprio compositor no encarte.

 “Abram alas para Alexandra que a festa começou”, escreveu Paulo César Pinheiro, que, mesmo tendo participado da pesquisa de repertório ao lado da cantora, teria se surpreendido com o resultado do CD, em que não falta sequer a oportuna homenagem ao Maranhão, que legou ao Brasil o tambor de crioula e o boi-bumbá, nas faixas Ava Canindé e São Luis do Maranhão.

No mais estão lá Balacoxê de Iaiá, que remete às iaiás do samba dos canaviais do Rio e de Pernambuco; Passista, dedicada às dançarinas dos terreiros das escolas; Coqueiro novo, Coco e Coco da canoa, que, como sugerem os próprios títulos, são produto do mais puro ritmo nordestino, assim como a chula Bisavó Madalena e o samba de roda Roda das sete saias.

Porta de entrada no rico universo feminino do compositor, que não para de surpreender os fãs com sua intensa produção autoral, além da criação solitária de Paulo César Pinheiro, o CD traz parcerias com João Lyra, Wilson das Neves e Roque Ferreira.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA