Geraldo Azevedo e Elba Ramalho cantam juntos em BH

Dupla se apresenta nesta sexta-feira no Chevrolet Hall

por Ailton Magioli 04/04/2014 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Marcelo Lyra/Divulgação
(foto: Marcelo Lyra/Divulgação )
Geraldo Azevedo apresenta Elba Ramalho. Realizado em 1979, este show no teatro carioca Teresa Raquel foi um dos primeiros a reunir o pernambucano e a paraibana. “Morávamos juntos na época. Sempre tivemos uma vida muito compartilhada”, recorda a cantora, que volta a encontrar o amigo no palco, nesta sexta-feira à noite, no Chevrolet Hall. A dupla promete reviver sucessos como 'Canta coração', 'Dia branco', 'Chorando e cantando', 'Canção da despedida' e 'Bicho de sete cabeças' – canções dele gravadas por ela.


Os dois se conheceram em 1975, quando Elba era atriz da peça 'Lampião no inferno' e cantava 'Trepadeira', música da trilha criada por Geraldo. “Daí em diante, nos entrosamos tanto que fomos morar juntos”, relembra ele, contando que fez a canção para a personagem de Tânia Alves. “Ela era bem picante, combinou com o jeito de Elba interpretar”, repara o autor. Quatro anos depois, Azevedo produziu 'Ave de prata', disco de estreia de Elba. Um dos destaques era 'Canta coração', feita especialmente por ele e Carlos Fernando para a amiga.

A cantora diz que a intimidade musical com Geraldo Azevedo é tanta que lhe permite se encaixar serenamente na obra do amigo. “Apesar de não convivermos muito e de termos carreiras distintas, sempre nos botam juntos em cena”, comemora. A dupla até dispensa ensaios. “Podemos entrar no palco direto. Geraldo se tornou meu esteio musical, aprendi muito com ele”, reconhece.

Elba elogia também o violão do amigo de Petrolina, que traz assumida influência baiana, joão-gilbertiana. “Há uma excelência no toque dele. Músico primoroso, Geraldo é dono de harmonia bem pessoal. Isso, sem falar de sua voz suave”, ressalta.

SURPRESA
O compositor confessa: sempre se surpreende com a amiga no palco. “Ela se veste do que vai dizer. Elba é uma cantriz, dona de energia incrível”, elogia. Geraldo conta que composições como 'Canção da despedida', mesmo não tendo sido feitas para ela, acabaram se tornando sucessos da amiga. Posteriormente, marcaram também a carreira dele.

Esta noite, além de dividir o microfone, a dupla fará sets à parte. Geraldo abre o show acompanhado apenas de seu violão. Elba entra depois, ao lado de um quarteto, com direito à presença do jovem sanfoneiro recifense Luizinho.

UM ENCONTRO INESQUECÍVEL
Com Elba Ramalho e Geraldo Azevedo. Chevrolet Hall, Avenida Nossa Senhora do Carmo, 230, São Pedro, (31) 3209-8989. Hoje, às 22h. Inteira/arquibancada: de R$ 70 a R$ 100. Mesa: R$ 550.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA