Túlio Araújo apresenta prévia de novo álbum com show gratuito na Funarte

Pandeirista bebe das fontes do jazz oriental contemporâneo nas faixas do disco 'East'

por Eduardo Tristão Girão 28/03/2014 09:25

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Flavio Charchar/Divulgação
Segundo álbum de Túlio Araújo ganha show de pré-lançamento no palco da Funarte neste sábado, 29 (foto: Flavio Charchar/Divulgação )
Se no seu disco de estreia, o instrumental 'Manguêra' (2012), o pandeirista mineiro Túlio Araújo baseou sua linguagem na música brasileira, em 'East' a aposta é na sonoridade contemporânea do jazz oriental. As novas músicas têm sonoridade mais sofisticada, clara influência de trabalhos de músicos como os israelenses Shai Maestro (piano) e Avishai Cohen (baixo) e o armênio Tigran Hamasyan (piano). O público poderá conferir esse repertório ao vivo na noite do próximo sábado, 29, na Funarte MG.

“Estudando a fundo o pandeiro, descobri paixão pela sua raiz, que é árabe. A forma como países do leste europeu e regiões orientais fazem suas melodias e harmonias sempre me intrigou. Ano passado, assisti à apresentação do trio de jazz do grande pianista judeu Shai Maestro. Foi um choque, pois tudo que eu ouvira e sentira lá, por mais complexo que tenha soado, me pareceu familiar. Mais tarde descobri que, por estudar tantas horas, isso me trouxe nova linguagem, mais ‘east’”, conta Araújo.

A produção do disco ficou a cargo de Araújo e do guitarrista Felipe Vilas Boas, que contaram com Deangelo Silva (piano, direção musical e arranjos), Eneias Xavier (baixo), Wagner Souza (trompete) e o Sergio Danilo (clarinete), Cleber Alves e Breno Mendonca (ambos no saxofone). As composições são do pandeirista e de parceiros – Vilas Boas assina, sozinha, quatro delas. O quarteto de cordas da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais e a cantora paulistana Dani Gurgel fizeram participações especiais.

Araújo escreveu três composições: Viena (com Deangelo), Saara e Luciane. Os arranjos não foram criados no calor das gravações, como ocorreu em Manguêra; ao contrário, o artista fez questão de dedicar tempo exclusivo para elaboração deles. “Cada um de nós pode criar seus próprios arranjos dentro do arranjo, apresentá-los, consertá-los, aprimorá-los”, observa. Para ele, isso é o que distingue os dois trabalhos. A essência, entretanto, continua sendo inserir o pandeiro na linguagem jazzística.

DESAFIO

Por dispensar bateria na formação da banda que o acompanha, Araújo aposta no desenvolvimento de linguagem especial no pandeiro, a exemplo do que fazem Marcos Suzano (referência central no assunto), Scott Feiner e Sergio Krakowski. “O fato de estar lançando um novo álbum, completamente diferente do primeiro, já mostra que estou em busca dessa identidade minha. E não dá pra analisar só o pandeiro, pois a gente está sempre acompanhando ou liderando um grupo”, analisa.

EAST
Show de pré-lançamento do disco de Túlio Araújo. Sábado, 29 de março, às 20h30. Funarte MG, Rua Januária, 68, Centro. Entrada franca. Informações: (31) 9898-2459 e www.tulioaraujo.com.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA