Guns N' Roses entrega o prometido em show na esplanada do Mineirão

Com apenas meia hora de atraso, banda de Axl Rose desfilou hits. Outros artistas que tocaram no festival também fizeram shows animados

por Eduardo Tristão Girão 23/03/2014 07:11

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Jair Amaral/EM/D.A Press
(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press )
Atração mais aguardada da quinta edição do festival Planeta Brasil, realizado neste sábado na esplanada do Mineirão, em Belo Horizonte, a banda norte-americana Guns N’ Roses entregou o prometido aos cerca de 20 mil fãs que lotaram o lugar. O vocalista Axl Rose, único remanescente da formação original do grupo, comandou apresentação de duas horas e meia de duração, numa demonstração da força de hits como 'Sweet child o’ mine', 'Don’t cry' e 'Paradise City'. Foram cerca de 25 músicas.

Rodeado de sete músicos competentes, entre eles nada menos que três guitarristas, Axl não decepcionou ao microfone, apesar de sua voz ter nitidamente se desgastado entre o início e o fim da apresentação (os agudos são poucos e fracos, mas estão lá). A performance dos instrumentistas é de alto nível e ele mantem certos solos de guitarra muito próximos dos que fazia o lendário ex-integrante Slash - exemplo disso pode ser ouvido em 'November rain', que teve o vocalista ao piano, como manda o figurino.

Veja mais fotos do show do Guns N'Roses

Por falar em figurino, Axl troca de roupa algumas vezes, mas sem abrir mão de chapéus, jaquetas (sempre quase fechadas) e óculos escuros (que só tirou numa música). O restante da banda segue visual oitentista e o clima de fantasia só aumenta com labaredas e explosões de fogos de artifício no palco. Uma chuva de papel vermelho picado foi preparada para a agitada parte final de 'Paradise city', canção com a qual a banda pontualmente encerrou a noite, às 23h20 - o show começou com meia hora de atraso.

Destaques Todos os primeiros shows do Planeta Brasil começaram depois do previsto. O do rapper paulistano Criolo, por exemplo, primeira grande atração a subir num dos três palcos do evento, teve uma hora e meia de atraso. O público, entretando, respondeu com entusiasmo ao chamado do artista, que não contou apenas com as músicas de seu disco de estreia, o bem-sucedido 'Nó na orelha'.

Veja fotos da aopresentação do Criolo

Aproveitou para mostrar novas canções, como 'Duas de cinco' e 'Cóccix-ência', lançadas por meio de um curta-metragem. Ele cantou várias das suas já conhecidas composições, caso de 'Subirusdoistiozin', 'Não existe amor em SP' e 'Grajauex', acompanhado de banda afiada e de seu fiel companheiro de palco, MC Dan Dan. Um bom show, sinalizando que o artista deverá passar pelo teste do segundo disco.

O rapper vestia camisão em estilo africano, o que convém a um artista que bebe diretamente na fonte do continente negro, como fica claro em outro sucesso seu cantado na tarde de ontem, 'Freguês da meia-noite', baseado em música do saxofonista camaronês Manu Dibango – para ficar num único exemplo. Se no disco a produção musical encanta pelo cuidado e capricho nos detalhes, ao vivo a aposta de Criolo é dar peso extra no groove, que quase engole o restante da banda.

Mais tarde, também fora do horário, a banda Raimundos subiu ao outro palco instalado no lado oposto da esplanada. A grande surpresa ficou por conta da presença de Fred na bateria: ex-integrante do grupo, foi acionado às pressas em razão de um acidente envolvendo um familiar do baterista atual, Caio. No repertório, hits como 'Mulher de fases', 'Nega Jurema', 'Palhas do coqueiro', 'Eu quero ver o oco' e 'Puteiro em João Pessoa'. O grupo acabou de lançar um álbum, 'Cantigas de roda'.

Confira imagens do show do Raimundos

Também passaram pelos palcos do evento Frejat (com um ótimo show), Natiruts (que mesmo tocando simultanemente ao Guns N’ Roses conseguiu bom público), B-Real (do Cypress Hill), Chula Rock Band, Black Sonora e Preto Massa (que convidaram Sideral), Slightly Stupid e 13 DJs.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA