Biografia inédita marca os 151 anos de nascimento de Ernesto Nazareth

Com quase 400 páginas, livro traz uma série de detalhes inéditos da carreira e da vida do compositor

por Agência Brasil 21/03/2014 17:28

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Foto: ernestonazareth150anos.com.br
Ernesto Nazareth aos 63 anos. (foto: Foto: ernestonazareth150anos.com.br)
A mais completa biografia de Ernesto Nazareth (1863-1934), um dos mais importantes compositores brasileiros, foi lançada nesta quinta-feira (20), em versão digital, pelo Instituto Moreira Salles do Rio de Janeiro (IMS-RJ). Resultado de 38 anos de trabalho do pesquisador Luiz Antonio de Almeida, a biografia pode ser livremente acessada no site ernestonazareth150anos.com.br, que também disponibiliza, a partir de agora, uma hemeroteca com 100 recortes de jornais sobre o músico, publicados até 1943, além do segundo volume das obras de Nazareth em versão melodia e cifra.

Com quase 400 páginas, a biografia traz uma série de detalhes inéditos da carreira e da vida de Nazareth, considerado o “Chopin brasileiro”. Na década de 1980, Luiz Antonio, desde os 14 anos interessado na obra de Nazareth, se aproximou dos últimos parentes vivos do compositor, o filho Diniz e a sobrinha Julita. Acabou tornando-se herdeiro de todo o acervo do músico, adquirido pelo IMS em 2005.

Ao longo dos anos, o pesquisador resistiu a algumas propostas para publicar a biografia em versão impressa, mas reduzida. “Não aceitei porque queriam enxugar o texto. Para mim, ou se publicava do jeito que eu escrevi ou não se publicava. O IMS aceitou publicar na íntegra. Tudo o que escrevi está ali. Basta acessar o site”, conta Luiz Antonio de Almeida.

Ele espera ver o material algum dia publicado em edição impressa, mas se considera satisfeito com a versão virtual. “Pela internet, o mundo inteiro vai ter acesso ao meu trabalho, gratuitamente. A divulgação do nome de Nazareth chegou a uma fase de alcance mundial”, ressalta Luiz Antonio.

Na última terça-feira (18), essa projeção se tornou ainda maior com a inclusão dos manuscritos do compositor na categoria Memória do Mundo, da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco). Com isso, passaram a ser considerados patrimônio cultural da humanidade. “De repente a gente vê o Ernesto Nazareth na mesma categoria em que se encontram a Nona sinfonia de Beethoven, os manuscritos de Brahms, a Bíblia de Gutenberg e documentos importantíssimos para o Brasil, como a coleção de fotografias da imperatriz Teresa Cristina. Isto só me traz alegria. Ninguém mais segura o Nazareth”, festeja o biógrafo.

O lançamento da biografia fez parte da programação pelos 151 anos de nascimento do compositor, comemorados nesta quinta-feira, que incluiu ainda uma roda de choro, nos jardins do IMS-RJ. O repertório foi escolhido entre as 120 composições já disponíveis no site do autor de Odeon, Apanhei-te cavaquinho, Brejeiro e muitos outros clássicos do choro, na época também chamado de tango brasileiro.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA