Festa no Cidade Jardim reune time de bambas da capital mineira

O compositor Evair Rabelo tocará na quadra do Grêmio Recreativo e avisa: BH também tem o seu lugar na batucada brasileira

por Walter Sebastião 30/12/2013 08:50

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Túlio Santos/EM/D.A Press
Evair Rabelo é umdos organizadores do projeto itinerante que valoriza o samba de BH (foto: Túlio Santos/EM/D.A Press)
Uma seleção de craques do samba de Belo Horizonte será reunida em show – verdadeira festa de compositores mineiros – marcado para terça-feira à tarde, na Quadra do Grêmio Recreativo Escola de Samba Cidade Jardim, no Bairro Santa Maria.


O time de bambas é formado por Nonato do Samba, Fabinho do Terreiro, Evair Rabelo, Mateus Uai, Mandruvá, Serginho Beagá, Pirulito da Vila, Cabral e Ricardo Barrão, entre outros. Essa turma está em atividade desde os anos 1980, com canções gravadas por importantes cantores do país – entre eles Zeca Pagodinho, Luiz Carlos da Vila, Lecy Brandão e Neguinho da Beija-Flor. Graças a esses autores, a música popular fez um “milagre” digno de nota: transformou o samba em artigo permanente na agenda cultural de Belo Horizonte.

Evair Rabelo conta que o início do evento se deve ao incômodo com o argumento, ouvido por ele, de que a capital mineira não tem um movimento de samba, resumindo-se a mero “foco” de sambistas. “Pensei comigo: temos tanta gente famosa e somos só um foco? Resolvi mostrar que o samba de BH é mais do que isso”, explica.

No palco estarão compositores que cantam (o próprio Evair, Fabinho do Terreiro, Serginho Beagá, Ricardo Barrão) e autores que também são intérpretes (Cabral, Nonato, Mateus Uai, Mandruvá e Pirulito da Vila).

O fato de a festa dos sambistas, que contará com representantes de várias agremiações carnavalescas da capital, ser realizada na quadra da Cidade Jardim se deve à junção de acasos felizes. O primeiro é a empatia com Alexandre Pereira, o Li, presidente da Cidade Jardim e filho de Jairo Pereira, fundador dessa escola, que sempre lutou para colocá-la na rua.

“Quando soube da nossa proposta, o Alexandre avisou: a festa é aqui”, conta Evair Rabelo. Pesou na escolha o fato de aos sábados à tarde ser realizada lá uma roda de samba que tem atraído muita gente.

MILAGRE

O projeto, batizado como Samba de casa faz milagre, é itinerante. Organizar eventos assim “não é bicho de sete cabeças”, avisa Evair. O cachê, garante ele, não pesa no bolso. “São necessários um bom som, segurança e cerveja gelada. Artista, Belo Horizonte tem. Alguns podem fazer show de duas horas cantando músicas próprias, gravadas por gente de fora e que o público já conhece”, explica.

A turma reunida no projeto tem carreira marcada pela luta para colocar de pé o samba de BH. O marco pioneiro foi o Curral do Samba, espaço no Bairro São Paulo, que fez sucesso. Ele tem o mérito de se destacar na agenda da capital numa época em que raras casas ofereciam programação do gênero.


SAMBA DE CASA FAZ MILAGRE
Com Nonato do Samba, Fabinho do Terreiro, Evair Rabelo, Mateus Uai, Mandruvá, Serginho Beagá, Pirulito da Vila, Cabral e Ricardo Barrão. Quarta-feira, das 14h30 às 19h30. Quadra do Grêmio Recreativo Escola de Samba Cidade Jardim, Rua do Mercado, 47, Conjunto Santa Maria. Ingressos: R$ 20. Informações: (31) 9210-0193, 8943-2616, 9748-9362 e 8207-9852.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA