Defensores dos direitos humanos criticam Mariah Carey por show para presidente de Angola

Cantora norte-americana teria recebido US$ 1 milhão por apresentação privada para uma das famílias mais ricas da África

por AFP 20/12/2013 16:41

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
AFP PHOTO / Saul LOEB
Em 2008, Mariah Carey já havia sido criticada por cantar para o filho de Muamar Kadafi na Líbia (foto: AFP PHOTO / Saul LOEB )
Defensores dos direitos humanos criticaram a cantora americana Mariah Carey por fazer um show para o veterano presidente angolano, José Eduardo dos Santos, ao que parece por um milhão de dólares. A Human Rights Foundation acusou a cantora de ter se deixado comprar para divertir uma das famílias mais ricas da África, em um dos países mais pobres do continente.

"Mariah Carey não parece ter o suficiente com o dinheiro que recebe de ditadores, mais de um milhão de dólares desta vez", declarou um militante do grupo, Thor Halvorssen. O ativista se referia de forma implícita a um show que a artista fez para um dos filhos do ex-líder líbio Muamar Kadafi, morto em 2011 após uma rebelião que derrubou seu regime.

Carey fez um show de duas horas no domingo em uma festa organizada em Luanda para a Cruz Vermelha, na qual foram arrecadados ao menos 65.000 dólares, segundo a agência oficial angolana Angop. O site da agência mostra Mariah Carey cantando com um vestido vermelho e posando com o presidente e com sua filha Isabel.

O evento foi patrocinado por uma empresa de telefonia móvel de propriedade de Isabel dos Santos, a sétima pessoa mais rica da África, segundo a revista Forbes, e que também preside a Cruz Vermelha angolana.

"É um triste espetáculo ver uma artista internacional comprada por um Estado policial impiedoso, para entreter e lavar uma cleptocracia formada por pai e filha que acumulou ilicitamente uma fortuna de bilhões de dólares, enquanto a maioria dos angolanos vive com menos de dois dólares por dia", disse Halvorssen.

Em 2008, Carey fez um show para Seif al-Islam Kadafi, filho do ex-líder líbio. Três anos depois disse que se sentia muito mal e muito chateada por sua atuação.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA