Paranaense Simone Mazzer destaca novos compositores em seu show

Cantora se apresenta neste sábado, às 23h30, no Granfinos

por Ailton Magioli 13/12/2013 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Simone Portellada/Divulgação
(foto: Simone Portellada/Divulgação)
Uma cantora sem rótulos. Assim a paranaense Simone Mazzer, de 45 anos, prefere se classificar, apesar de se adaptar perfeitamente ao (desgastado) rótulo de eclética. Preparando-se para gravar o esperado disco de estreia pela Dubas Música, de Ronaldo Bastos, ela faz o primeiro show em Belo Horizonte neste sábado à noite, no Granfinos.


Depois de atuar por 19 anos na carioca Armazém Companhia de Teatro – inclusive interpretando várias cantoras –, Simone Mazzer passou a se dedicar, há dois, ao novo show e ao primeiro disco. O repertório foi selecionado com a colaboração do uruguaio Leonel Pereda, ligado à Dubas, que vai assinar a produção musical do álbum.

“De certa forma, o coração do CD está aberto a autores ainda não conhecidos do grande público”, avisa Simone, cujos timbre vocal e porte físico remetem à paulistana Cida Moreira. A decisão de abandonar o teatro se deve à dificuldade de conciliar as duas atividades, explica ela. “Teatro e música carecem de dedicação intensa”, justifica Simone, que, no entanto, não consegue separá-los. “Deixo fluir essa coisa de ser atriz e de ter experiência diferente no palco. Gosto da levada mais dramática da música”, afirma.

Em março, a paranaense entra em estúdio. O compositor e produtor Ronaldo Bastos assina a direção artística de seu disco de estreia. “Sempre atualizado e sempre presente, Ronaldo acompanha o que está acontecendo na música”, elogia a cantora.

GALPÃO
Entre os autores que Simone Mazzer promete gravar está o poeta e dramaturgo Márcio Arruda Mendonça, que trabalhou com o Grupo Galpão em 'Pequenos milagres' e assina a inédita 'Estrela blues'. De Londrina, Bernardo Pellegrini vai colaborar com 'Essa mulher' e 'Dei um beijo na boca do medo', enquanto Robinson Borba (que produziu o clássico 'Clara Crocodilo', de Arrigo Barnabé) contribui com 'Mente, mente'. Essa canção, gravada também por Ney Matogrosso, acompanha Simone há anos. “Fizemos um arranjo meio inusitado para ela, com castanhola”, empolga-se.

“Tenho recebido bastante material. Agora começa a chover música”, comemora Simone, contando que vai gravar 'Parece que bebe', de Itamar Assumpção. Ela também compõe e assina 'Férias em videotape', parceria com Elton Mello e Sílvio Ribeiro.

SIMONE MAZZER & TRIO
Granfinos, Avenida Brasil, 326, Santa Efigênia. Neste sábado, às 23h30. R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada).

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA