Ana Cañas faz show em homenagem a Rita Lee

Noite terá Affonsinho e Marina Machado como convidados e ainda show do Iconili

por Ailton Magioli 19/11/2013 08:20

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Camila Passos/Divulgação
"Tenho a ver com a Rita não só musicalmente, na coisa do rock e do blues, mas também pela inquietude dela", Ana Cañas, cantora e compositora (foto: Camila Passos/Divulgação )
Ex-Mutantes e ex-Tutti Frutti, cuja carreira solo consolidou-se quase em duo com o marido, Roberto de Carvalho, Rita Lee, de 65 anos, é a homenageada do projeto Compositores.BR. Em show único nesta terça-feira à noite, no Grande Teatro do Sesc Palladium, Ana Cañas mostra parte do amplo repertório da cantora e compositora. “É um mar de canções tão boas que fica complicado selecionar”, diz a cantora, que, acompanhada de power trio formado por Sabah Jimenez (guitarra), Fábio Sá (baixo elétrico) e Alex Fonseca (bateria) se dará ao luxo de ter como convidado Alexandre Fontanetti (violão, guitarra e vocal), que acompanhou Rita Lee no clássico disco-show Bossa’n’roll. Affonsinho, Marina Machado e os novatos da banda Iconili são convidados do projeto. A noite é promissora.

Das texturas psicodélicas do rock anos 1960-70 até a fase mais pop, ao lado do marido, Roberto de Carvalho, que embalou a trilha sonora de telenovelas, Rita Lee será homenageada por Ana Cañas não só como artista, mas como mulher militante. “Tenho a ver com a Rita não só musicalmente, na coisa do rock e do blues, mas também pela inquietude dela. Trata-se de uma mulher sem medo, adepta da polêmica quando o assunto é a questão de gênero e o feminismo”, diz a cantora.

“Fiz mix de minhas favoritas”, anuncia Ana Cañas, na expectativa de ter a plateia cantando com ela. “Um dos méritos é contar com vários sucessos”, reconhece, anunciando que a versão “meio The Police com toques de Pink Floyd” que ela e seu trio deram a 'Alô, alô marciano' ficou especial. Afinal, recorda a cantora, apesar de ser de Rita Lee, a canção se tornou conhecida na voz de Elis Regina, fera quando o assunto é interpretação.

Com carreira ainda limitada a um EP, mas já preparando o primeiro disco para o ano que vem, a banda Iconili, segundo a percussionista Nara Torres, deu uma garimpada no repertório de Rita Lee para encontrar algo que tivesse a ver com seu universo instrumental. Resultado: de 'Papukitita', de um dos primeiros discos pós-Mutantes, passando por 'Ula ula', a banda privilegiou a criatividade, recriando arranjos de alguns clássicos da cantora.

ANA CAÑAS, AFFONSINHO, MARINA MACHADO E ICONILI
Show terça-feira, às 20h. Grande Teatro do Sesc Palladium, Rua Rio de Janeiro, 1.046, Centro. Ingressos: Plateia 1, R$ 40 (inteira), R$ 20 (meia); plateia 2, R$ 30 (inteira), R$ 15 (meia); plateia 3, R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia). Pede-se 1kg de alimento. Informações: (31) 3214-5350.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA