Desorganização e a sofrível infraestrutura do Mega Space frustraram fãs do Red Hot Chili Peppers

Público usou as redes sociais para protestar contra o festival Circuito Banco do Brasil, que divulgou nota neste domingo

por Ailton Magioli 04/11/2013 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Leandro Couri/EM/D. A. PRESS
(foto: Leandro Couri/EM/D. A. PRESS)
Anunciada como megafestival para 40 mil pessoas – com direito a show de encerramento da banda Red Hot Chili Peppers, destaque do pop internacional –, a versão mineira do Circuito Banco do Brasil não deu conta do recado. Graves falhas da infraestrutura montada no Mega Space, em Santa Luzia, revoltaram o público.


Nas redes sociais, multiplicaram-se as queixas sobre imensas filas para chegar a banheiros e bares, engarrafamento gigantesco para acesso ao Mega Space – agravado pela manifestação dos moradores dos bairros luzienses Dona Rosarinha e Padre Miguel – e a demora para voltar para casa. Fãs reclamaram também da pouca visibilidade do palco. O som foi considerado baixo.


“Falta muita organização a esse lugar. A cerveja é quente, falta comida e os preços são altos. Para fechar com chave de ouro, levei três horas para sair do estacionamento”, resumiu Tiago Oliveira Cunha na própria página oficial do Mega Space no Facebook.


Se na ida para Santa Luzia o problema foi o protesto de moradores na MG-020, na volta – já livre de manifestantes – a rodovia voltou a ter o tráfego prejudicado. Transporte coletivo decente passou longe dali – aliás, como ocorre diariamente na Região Metropolitana de Belo Horizonte.


“Não há número suficiente de banheiros para atender tanta gente”, reclamou o professor Igor Matias, enquanto aguardava na imensa fila. “Nunca mais volto a eventos no Mega Space”, esbravejou Fernando Reis de Paula em mensagem postada no site em.com.br. “Ficamos duas horas parados dentro do carro”, contou ele, indignado com “a falta de comunicação” entre Polícia Militar, promotores do evento e Prefeitura de Santa Luzia.


“Ridículo! Vergonhoso! Cheguei às 4h30 em casa, fiquei uma hora e trinta minutos para conseguir comida, acabou tudo”, protestou o gerente de vendas Guilherme Soares. Roubos foram registrados dentro do Mega Space. Logo depois de chegar ao espaço de shows, uma jornalista ficou sem a sua mochila. Deixou-a no chão, enquanto anotava informações para sua reportagem, e foi roubada em questão de minutos.


Temendo maiores confusões na volta para casa, parte do público começou a sair do Mega Space por volta da meia-noite e meia, embora o Red Hot Chili Peppers deixasse o palco meia hora depois. Fãs que pagaram R$ 240 (inteira) e R$ 120 (meia-entrada) para ver a banda ao vivo se indignaram com a desorganização do festival. Muita gente lembrou que o megashow poderia ter sido realizado no Mineirão.

Bombeiros A assessoria de imprensa do Circuito Banco do Brasil informou que foram instalados 380 banheiros – quatro para portadores de necessidades especiais. O número, segundo assessores, atendeu a exigência do Corpo de Bombeiros para liberar o espaço.


A organização alegou também que, além da área para bares fixos, havia espaço especial para venda de comida e bebidas. A médica Marcela Resende Sarmento, que trabalhou no local, contabilizou três postos de atendimento em funcionamento, com oito colegas a postos. A assessoria do festival informou que quatro foram montados. (Com Daniel Camargos)

 
Nota oficial da organização do Circuito banco do Brasil:

Realizar um evento reunindo música, esporte e arte é um grande desafio. Ainda mais com a presença 40 mil pessoas prestigiando. A produção do Circuito Banco do Brasil em BH seguiu rigorosamente todas as normas e indicações dos orgãos públicos e fiscalizadores locais em todas as etapas e quesitos da montagem e preparação do espaço para receber todos os fãs. Alguns fatores e acontecimentos externos ao evento - como o fechamento da principal via de acesso por um grupo de manifestantes - fizeram com que algumas condições fossem alteradas.

Mesmo assim, a partir das 14h, quando os portões foram abertos e o evento iniciou, um grande número de pessoas já estava no local. Nosso objetivo foi oferecer ao público grandes shows de música, com artistas brasileiros e internacionais, a possibilidade de ver as feras do skate em ação e muita diversão.

Estamos atentos a todas as críticas e buscando melhorar todos os pontos do evento. Para as próximas etapas do Circuito Banco do Brasil, vamos corrigir algumas falhas e aprimorar determinados pontos, como a operação de bares. Nosso objetivo é proporcionar a todos momentos de grande diversão.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA