Cantora mineira Luna Cohen prepara em BH novo disco de jazz com tempero

Um dos trunfos do próximo trabalho são canções que está escrevendo com o violonista Beto Lopes. Ela aproveita os bons ventos desde que recebeu o prêmio Enderrock por seu álbum de estreia, 'Estrada do sol', em março

por Eduardo Tristão Girão 03/11/2013 10:12

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Ramon Lisboa/EM/D.A Press
A cantora Luna Cohen prepara novo disco com parcerias com o violonista Beto Lopes (foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)
Belo-horizontina radicada há 14 anos em Barcelona, a cantora Luna Cohen está de passagem pela capital mineira não apenas para rever a família, mas também para preparar o repertório do seu segundo disco, ainda sem título, que será gravado na Espanha no início do ano que vem. Um dos trunfos do próximo trabalho são canções que está escrevendo com o violonista Beto Lopes. Ela aproveita os bons ventos desde que recebeu o prêmio Enderrock por seu álbum de estreia, Estrada do sol, em março.

Essa é uma das premiações mais importantes da região da Catalunha, com cinco finalistas escolhidos por críticos especializados para cada categoria e premiação após votação popular. A mineira foi eleita com 40,5% dos votos como melhor nova proposta na categoria jazz. “Eu e meu grupo somos bem conhecidos dentro do circuito, temos um nome, mas a partir desse prêmio o status é outro. Isso abre portas e as pessoas ficam predispostas a ouvir o nosso trabalho de outra forma”, conta Luna.

De fato, não é pouco: a artista compõe e canta em português, fazendo jazz com molho brasileiro na Catalunha, região cuja população defende ardorosamente sua língua e cultura. “Minhas músicas são concebidas em bossa, ijexá, samba, partido-alto. Já nascem brasileiras. Já fomos classificados como world music, estamos no circuito do jazz, canto em português, fazemos improviso. É um brazilian jazz fusion”, define Luna.

CONEXÃO
Sobre o próximo disco, ainda sem nome, a cantora adianta que terá repertório formado por canções feitas com seu grupo (que conta com um brasileiro e quatro catalães) e com o mineiro Beto Lopes. Ele já colocou acordes em escritos dela e ela já escreveu letras para melodias dele, sendo que os dois continuarão trabalhando juntos até a volta de Luna para Barcelona, na segunda semana deste mês.

“Quero fazer mais projetos com os músicos de Belo Horizonte. Cada vez que venho aqui me surpreendo. O nível é muito alto. Quero muito fazer esse link e gostaria de levá-los para lá também”, elogia a artista. Inclusive, ela planeja levar o próprio Beto para a Espanha quando for gravar as novas composições, ano que vem.

ENGAJADA
Provando que é engajada, Luna Cohen gravou com seu grupo a canção A vida pode ser melhor para campanha da Organização Mundial de Saúde. O objetivo é informar a população mundial e entidades governamentais sobre a doença de Chagas. O vídeo que acompanha a música conta a história real de um paciente de 85 anos infectado e pode ser visto no site da artista: www.lunacohen.com

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA