Sérgio Britto concilia carreira solo com agenda do Titãs e se apresenta em BH

Como um dos fundadores da banda, músico mostra nesta quinta-feira que também é admirador da bossa nova

por Ailton Magioli 31/10/2013 08:11

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Silmara Ciuffa/Divulgação
Ao contrário do que diz um antigo sucesso dos Titãs, Britto prova que conseguiu se adaptar (foto: Silmara Ciuffa/Divulgação)
Belo Horizonte será a segunda capital a receber o 'Purabossanova' do titã Sérgio Britto em voo solo. Atração desta quinta à noite do Na Mata Café, em Lourdes, o cantor-instrumentista chega à cidade depois do lançamento do disco no Rio de Janeiro, retornando a seguir a São Paulo, onde tem show agendado para 7 de novembro.

Em companhia de Guilherme Gê (teclados, guitarra e programações), Marcos Suzano (percussão) e André Rodrigues (baixo), Sérgio Britto (voz e violão) vai receber ainda a cantora Marcela Mangabeira, que fará as vozes de Alaíde Costa, Rita Lee, Roberta Sá e da argentina Eugenia Brusa, presentes no disco ao lado da própria Marcela. O repertório do show vai além do CD e inclui clássicos dos Titãs e de Tom Jobim.

Influências


Com 54 anos, Sérgio Britto não viveu diretamente a bossa nova, mas diz que teve uma relação forte com a MPB e, consequentemente, também com a bossa nova. “Isso vem desde a época do meu pai no exílio”, recorda o cantor e instrumentista, que dos 4 aos 14 anos viveu no Chile, com a família exilada pela ditadura militar brasileira. “Quando a gente vive uma situação assim é comum o saudosismo da cultura de nosso país de origem”, justifica, lembrando quando o pai aguardava, ansioso, pela chegada às lojas chilenas dos discos de MPB.

Apesar da origem em uma banda eminentemente roqueira, Sérgio Britto tomou um rumo diferente em sua trajetória individual. “Queria algo que me distinguisse e me diferenciasse dos Titãs”, revela, admitindo que, mesmo mais melódicos, os primeiros trabalhos solos eram muitos próximos do pop-rock da banda paulistana. Exercitar elementos do pop com elementos da música brasileira foi o objetivo do novo disco que, segundo diz, tem “um quê de bossa nova”. “Isso porque é mais introspectivo, reflete questões da vida pessoal”, justifica.

Em síntese, de acordo com Sérgio Britto, 'Purabossanova' é um olhar mais lírico sobre o mundo. “Não se trata da bossa de maneira ortodoxa”, esclarece, salientando que João Gilberto, sim, “é o cara”, o representante legítimo do gênero que faz sucesso internacionalmente. “No topo da cadeia alimentar da bossa estão ele e Tom Jobim”, ressalta. “Tom, por conta dos arranjos, enquanto João explorou uma batida e um jeito de cantar diferentes. Trata-se, na verdade, de dois inventores, com poder de comunicação muito forte”, elogia Sérgio Britto.

Feminices

Ao privilegiar a presença de mulheres em seu quarto disco solo, Sérgio Britto chama a atenção para o fato de a voz feminina ser quase um outro instrumento. “Se não levasse isso para o show seria uma gafe”, garante o cantor, ao explicar o convite a Marcela Mangabeira para dividir o palco com ele. Entre os fãs dos Titãs, acredita, há aqueles que, por ver a banda como eclética, acabam aceitando bem o trabalho solo dos integrantes. “Outros ficam concentrados no rock. Mas aos poucos acabo despertando outro público, que é o meu objetivo.”

Por enquanto, o cantor segue adequando as datas do show solo com os da banda, nos fins de semana. “Vou me adaptando”, diz, anunciando que o novo disco dos Titãs deve ser gravado só no ano que vem. 'Purabossanova' conta ainda com as participações de Luiz Melodia e do violonista uruguaio Toto Mendez. Composições em espanhol do argentino Charlv Garcia ('Canción para mi muerte') e da mexicana Julieta Venegas ('Lento') também estão no repertório. Muito além de cantar, o titã também compõe na língua que ele aprendeu no Chile. A canção que batiza o disco, no entanto, é no mais puro português e interpretada com Rita Lee que, não por acaso, cantou com João Gilberto.

• REPERTÓRIO DO SHOW

» 1 – 'Sol e água limpa'
» 2 – 'Purabossanova'
» 3 – 'Completamente triste'
» 4 – 'Cancion para mi muerte'
» 5 – 'Aqui neste lugar'
» 6 – 'Go back'
» 7 – 'Nossa religião'
» 8 – 'Epitáfio'
» 9 – 'Nem 5 minutos guardados'
» 10 – 'Maria( l'autre chienne)'
» 11 – 'Como iguais'
» 12 – 'Para nós dois'
» 13 – 'Garota de Ipanema'
» 14 – 'Pra te alcançar'
» 15 – 'Lento'
» 16 – 'Diversão'

SÉRGIO BRITTO & BANDA
Quinta-feira, às 22h, no Na Mata Café (Rua Marília de Dirceu, 56, Lourdes). Ingressos a R$ 60 (feminino) e R$ 80 (masculino). Informações: (31) 3654-1733.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA