Passo Torto faz nesta terça sua primeira apresentação em Minas

Show no Teatro Bradesco será elétrico e o quarteto irá executar todas as 12 canções de seus segundo álbum

por Mariana Peixoto 01/10/2013 08:22

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
EVERTON BALLARDIN/DIVULGAÇÃO
(foto: EVERTON BALLARDIN/DIVULGAÇÃO)
Há alguns dogmas que cercam o quarteto paulistano Passo Torto: as gravações não podem contar com nenhum músico além de Kiko Dinucci, Rodrigo Campos, Rômulo Fróes e Marcelo Cabral e as canções têm que ter a autoria de pelo menos dois dos quatro integrantes – os três primeiros têm bem-sucedidas carreiras solo. Cabral, também produtor, assinou, por exemplo, 'Nó na orelha', de Criolo. Juntos há três anos, eles têm dois álbuns, 'Passo Torto' (2011) e 'Passo elétrico' (2013). Este último é a base do show que fazem nesta noite no Teatro Bradesco, no projeto Mistura Minas. Será a primeira apresentação do grupo em Belo Horizonte.

A principal diferença que cerca os dois trabalhos é justamente a eletrificação. No álbum de estreia, os instrumentos acústicos davam a tônica. No segundo, as guitarras é que conduzem a sonoridade. Sem percussão, o Passo Torto é conduzido por meio dos instrumentos de corda. O show será elétrico. O quarteto vai executar todas as 12 canções de seu segundo álbum. “E também algumas do primeiro que têm uma pegada mais rock, como 'A música da mulher morta' e 'Sem título, sem amor”, conta Fróes. Assim como no álbum de estreia, no segundo a cidade de São Paulo continua como “musa” do grupo, que busca entendê-la e apresentá-la de maneira ácida e inconformada.

'Passo elétrico' foi gravado em apenas uma semana. “Em cinco horas de estúdio, nas duas primeiras já levantamos duas músicas. Saíamos para um café e, na volta, outras duas. Tanto que na gravação, que foi ao vivo, mudou pouca coisa. E quem vai ao show percebe isso, pois ele lembra muito o disco”, continua Fróes. A eletrificação foi resultado de processo que os integrantes fizeram com seus trabalhos individuais. “O Passo Torto alimenta todo o resto do nosso trabalho. O que cada um faz reflete nele”, finaliza Fróes.

PASSO TORTO
Show nesta terça-feira, às 20h30, no Teatro Bradesco,
Rua da Bahia, 2.244, Lourdes, (31) 3516-1027.
Ingressos: R$ 30 e R$ 15 (meia).

VEM AÍ   
 

Realizado desde o fim de março, o Mistura Minas é um projeto que já levou ao palco do Teatro Bradesco Thiago Delegado (em encontro com Roberto Menescal), Aline Calixto, Letieres Leite & Orkestra Rumpilezz, Kiko Klaus e Otto. Os próximos shows, este mês, serão de Diego Bemquerer e Elza Soares (dia 15) e Érika Machado e Marcela Bellas (dia 29).

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA