Moraes Moreira volta a BH acompanhado de seu herdeiro musical, Davi Moraes

Músico que um dia foi novo baiano, faz show hoje à noite, no Palácio das Artes

por Mariana Peixoto 22/08/2013 08:32

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Antônio César/Divulgação
Moraes Moreira e Davi tocam juntos boa parte do show, mas existem momentos solos para cada um (foto: Antônio César/Divulgação)
Antes de músico, é um Moraes Moreira fazendo as vezes de pai orgulhoso quando relembra a primeira vez que o filho Davi Moraes subiu com ele em um palco. “Começou tocando 'Brasileirinho' (o clássico choro de Waldir Azevedo, que demanda destreza do instrumentista). Foi no Rock in Rio de 1985. Tinha 12 anos”, conta. Hoje à noite, os dois Moraes, que vêm ao longo dos anos atuando como parceiros, retornam ao palco no show 'Pai e filho', que integra o projeto MPB Petrobras.

Se foi aos 12 anos que Davi estreou na banda do pai, aos 7 ele verdadeiramente experimentou o palco pela primeira vez. “Eu estava fazendo show e ele começou ali mesmo a imitar os músicos”, conta o velho Moraes. Como era muito novo, o pai insistiu para que Davi seguisse com os estudos. “E ele só querendo ser músico. Daí, quando virou profissional, foi embora”, completa o pai. Os dois tocam juntos há muito tempo e já há alguns anos estrearam o show no formato de duo.

“Fazemos por um tempo, depois desativamos, e de repente retomamos. E a volta é sempre com novidades”, continua Moraes Moreira. A apresentação de hoje será assim, aberta com dois temas instrumentais em que Davi toca bandolim. “Depois é que começamos com nossa história”, explica Moraes Moreira. “Tem uma música da época dos Novos Baianos, 'Eu sou o caso deles' (Moraes e Luiz Galvão, gravada em 1974), que fala muito da relação de pai e filho.”

Há um momento solo de cada um, como também a hora de releituras. Para esta noite estão previstas versões de composições de Ari Barroso, Assis Valente e Jacob do Bandolim. E há, ainda, a obrigatória parte dedicada aos Novos Baianos, com 'Preta pretinha e Lá vem o Brasil descendo a ladeira'.

Com mais de 40 anos de carreira, Moraes Moreira lançou em 2012 o álbum 'A revolta dos ritmos', seu disco mais recente. A intenção inicial era fazer um trabalho somente com temas de samba, mas no decorrer do trabalho acabou incluindo referências ao baião, xote e frevo. Já Davi Moraes, que tem dois discos solo, como guitarrista já integrou as bandas de Caetano Veloso, Marisa Monte, Ivete Sangalo e Vanessa da Mata. Mais recentemente, passou a tocar com Maria Rita, mãe de sua única filha, Alice.

Gustavo Guimaraes/Divulgação
(foto: Gustavo Guimaraes/Divulgação)
VIOLEIROS


Responsável pela abertura desta noite, Pereira da Viola vai se apresentar ao lado do violonista Dito Rodrigues. O violeiro de São Julião, Norte do estado, tem cinco álbuns lançados. O mais recente deles é Akpalô (2006), que o artista considera um divisor de águas na carreira, já que aponta uma interlocução da música caipira e das sonoridades afro-indígenas, com gêneros como o blues e a MPB

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA