Mulheres também conquistam espaço na nova música sertaneja

por Ana Clara Brant 17/08/2013 00:13

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Fábio Nunes/Divulgação
Suelen Santos aposta na conquista de espaço pelas cantoras sertanejas de sua geração (foto: Fábio Nunes/Divulgação)
 

A presença feminina é mais uma inovação do new sertanejo. O estilo musical, em boa parte, sempre foi marcado pelas vozes masculinas, mas isso vem mudando. E se antes o mercado ficava restrito a nomes como os de Roberta e Sula Miranda, ou mesmo das Marcianas e das Irmãs Galvão –, que recentemente completaram 66 anos de carreira –, de uns anos para cá apareceram Paula Fernandes, Maria Cecília (que faz dupla com Rodolfo) e Thaeme (que canta com Thiago).

O produtor Dudu Borges, mesmo destacando o crescimento desse segmento, credita à falta de uma cultura mais feminina no setor a escassez de cantoras. “Tem muita mulher dando show, mas não é tão comum como ocorre com os homens. É um mistério, porque tem muita gente de talento por aí. Elas fazem tão bonito quanto eles. Acho que o público ainda não se acostumou, porque essa coisa do homem cantando é muito forte no segmento sertanejo. Mas espero que mude”, diz.

Com carreira que começa a despontar, a paulista Suellen Santos, de 27 anos, acredita que as mulheres estão conquistando espaço em todos os setores e não poderia ser diferente na música sertaneja. No entanto, ainda vê certa resistência, principalmente das que buscam carreira solo. “É um universo muito masculino e por isso a gente tem que vencer pelo esforço e trabalho. Tem que focar no repertório e no que você acredita. O mais importante é que o sertanejo, independentemente de ser sozinho, em dupla, homem ou mulher, não perca as suas raízes e a sua essência”, resume.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA