Móveis Coloniais de Acajú alça voo nacional no novo disco

A maturidade sonora aparece abusando dos gêneros e estilos, provocando um trabalho atípico, propositalmente diferente dos anteriores

por Correio Braziliense 12/08/2013 19:11

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Janine Morais / CB / DA PRESS
Após quatro anos, banda lança novo disco (foto: Janine Morais / CB / DA PRESS)
“Outro dia estava vendo uns vídeos da gente tocando nas ruas. Cara de adolescente. Pareceu distante. Agora, estamos aqui, músicos profissionais, fazendo música e pagando as contas.” Sem querer, o vocalista do Móveis Coloniais de Acaju, André Gonzales, resumiu a trajetória que os trouxeram “de lá, até aqui”, justamente a expressão que nomeia o novo trabalho, nas lojas a partir de amanhã. Fim de um jejum de quatro anos, mesmo período que separou o primeiro disco, 'Idem' (2005) de 'C_mpl_te' (2009).

'De lá até aqui' promove um rito de passagem simbólico. Como se registrasse a transição do púbere para o adulto, do acadêmico para o graduado, da garagem para o estúdio. Resultado de uma jornada que se perpetua há 15 anos e que agora se consolida sob a tutela de instrumentistas essencialmente brasilienses e profissionais. “Vivemos disso. Encontramos nosso lugar e assumimos quem somos”, reiterou André.

A maturidade sonora aparece abusando dos gêneros e estilos, provocando um trabalho atípico, propositalmente diferente dos anteriores. Entre as 14 faixas que compõem o álbum, surgem uma homenagem ao rock oitentista de Brasília, influências de Beatles e elementos da disco music dos anos 1970. Eclético, porém harmônico. Os instrumentos ganham espaço e a destreza dos 10 integrantes fica mais nítida (e ousada), como a voz grave e peculiar de André. Cuidados lapidados pelos atenciosos músicos e por uma produção nacional disposta a apostar todas as fichas na banda.



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA