Charlie Sheen revela que sofreu com o uso do coquetel anti-aids

Ator de 'Two and a Half Men' anunciou ser portador do HIV em 2015 e optou por iniciar um tratamento experimental

por Estado de Minas 05/05/2017 18:48

Andrew Burton
Charlie revelou que o coquetel anti-aids o deixava à beira da demência (foto: Andrew Burton)
Charlie Sheen, ator da série de comédia Two and a Half Men, revelou para uma plateia de aproximadamente 300 pessoas que optou por trocar o tratamento para controlar o vírus da aids. Segundo ele, o método inicial, que era o famoso coquetel de drogas, o deixava "anulado, mas vivo", e que lutava com uma constante enxaqueca que, às vezes, o deixava à beira da demência.

 

Sheen agora aposta em uma terapia injetável, que traz menos efeitos colaterais. A nova droga foi apresentada a ele no talk show do médico Dr. Oz, em fevereiro, quando o CEO da empresa farmacêutica o convidou para testar o novo tratamento, com o medicamento chamado PRO 140. "Voltei a ser eu mesmo de novo, em contato com todos os aspectos da minha vida", revelou o ator, que não lida mais com os efeitos colaterais.

 

"Quando fui diagnosticado com HIV, eu soube que não seria uma sentença de morte, mas que tinha entrado numa baita roubada", disse ele. Charlie ainda se comprometeu a ajudar a difundir o novo método e o uso do medicamento em escala comercial. "Eu poderia correr e esconder tudo isso e não me pronunciar e ser honesto sobre esse assunto, mas eu escolhi o caminho oposto", declarou, por fim, o ator. 

 

 

 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MEXERICO