"Não sei se vai passar", diz Ana Hickmann sobre atentado em BH

Apresentadora revela que ainda está traumatizada com a tentativa de assassinato que sofreu em maio deste ano

por Estado de Minas 07/12/2016 14:33

Reprodução/Instagram
(foto: Reprodução/Instagram)
Sete meses atrás, Ana Hickmann passou por um grande susto que quase lhe custou a vida. Na ocasião, um homem - que se dizia fã da apresentadora- invadiu o quarto em que ela estava hospedada no Hotel Caeser Business, em Belo Horizonte, e ameaçou matá-la. 


O trauma, ainda hoje, atormenta a ex-modelo. Pelo menos foi o que ela afirmou em entrevista a revista Caras: "Não dá pra ficar 100% bem depois de um susto assim. Não sei se vai passar. Preciso aprender a viver com isso", desabafou.

O atirador fez Ana, seu cunhado Gustavo Corrêa e a esposa dele, Giovana Oliveira, reféns por quase meia hora. Chegou a efetuar dois disparos em direção à modelo, mas os tiros acabaram por ferir Giovana. Gustavo então rendeu o homem armado, que acabou morto após embate.

"Estou inteira, mas a Giovanna, mulher do Gustavo, ficou com as maiores marcas na parte física, que não vão sair nunca mais", lamentou Hickmann.

A top ainda defendeu a atitude do cunhado, que após lutar e atirar no agressor, foi denunciado por homicídio: "A parte emocional da família ficou fragilizada com esse processo, algo que já deveria ter sido arquivado como legítima defesa. Existem todas as provas para essa decisão, mas, infelizmente, não foi visto assim. Não sou diferente de ninguém, e a gente vai até o fim, pois sabemos bem o que aconteceu".

 

Rodrigo Augusto de Pádua - o atirador - tinha 30 anos. Segundo a família, era fanático por Ana Hickmann e viajou de Juiz de Fora, interior de Minas, para a capital mineira, com o objetivo de conhecê-la. Seus perfis nas redes sociais eram recheados de mensagens com fotos e declarações de amor à sua "musa".

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MEXERICO