Novos nomes entram para a programação do 19º Minas Trend

Com o tema 'Aqui se cria', evento irá abordar a identidade cultural mineira, destacando seu pioneirismo e sua tradição

por 18/09/2016 20:03

Leandro Couri/EM/D.A Press %u2013 5/4/16
19ª edição do Minas Trend ocorre entre os dias 5 e 6 de outubro. (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press %u2013 5/4/16)

 

Em fase final de organização, a 19ª edição do Minas Trend já tem pronta a relação das grifes que vão desfilar durante o evento, em 5 e 6 de outubro. Entre as novidades, destaca-se a estreia da grife paulista Modem Studio, considerada como uma das mais promissoras marcas da nova safra de criadores nacionais; a Doiselles, que se especializou em tricô e crochê através de peças bem modernas; e a Ellus, que é uma das marcas mais festejadas do universo jeanswear brasileiro.

 



Completando a grade dos desfiles, as grifes Victor Dzenk, um dos principais nomes da moda mineira; a SecondFloor, que é a segunda marca da Ellus; e ainda a Plural, a Natália Pessoa (ex-Faven) e Lucas Magalhães. A programação dos desfiles é a seguinte: dia 5, quarta-feira, Plural e Second Floor (11h), Natália Pessoa (Faven, 15h), Victor Dzenk (17h). Dia 6, quinta-feira: Lucas Magalhães (11h), Modem e Doiselles (15h) e Ellus (17h). Os desfiles são realizados nas salas especiais.

 

E como os tempos estão duros para todos, os participantes do Minas Trend apertaram a mão nos preços e abriam um leque de ofertas, que cobre todos os segmentos de produtos das lojas revendedoras. Como ocorreu na última edição, a pronta-entrega está firme para quem quer antecipar vitrines do próximo verão. Para os compradores que vêm de fora, essa nova forma de comercialização imediata é mais do que proveitosa, facilita a escolha e o envio do produto.

Não podia ser diferente: a Pampulha é um dos temas do MT deste ano, o título é ''Aqui se cria''. Símbolo da vocação mineira para inovação, o tema propõe um resgate do novo, da ruptura e da experimentação como fonte de inspiração dentro do processo criativo, resgatando a importância da identidade cultural como diferencial competitivo. Traça um paralelo entre a vanguarda do Barroco mineiro, que já se mostrava arrojado ao apresentar anjos miscigenados e curvas das montanhas em suas obras, e o conjunto arquitetônico da Pampulha, um dos ícones do modernismo brasileiro. O objetivo, segundo a Federação das Indústrias do Estado de Minas de Gerais (Fiemg), realizadora do Minas Trend, é destacar a tradição e o pioneirismo criativo da indústria mineira, que, especialmente no setor de moda e acessórios, está sempre à frente, investindo em matérias-primas diferenciadas, aliadas as novas tecnologias e pesquisas, para reforçar e manter sua vocação para a produção de artigos reconhecidos pela inovação, design e alta competitividade. Esta edição reflete a influência da vanguarda do estado nas artes e na arquitetura e de que forma esses movimentos colaboraram para a formação do DNA criativo da indústria de moda mineira.

E para quem gosta de estar por dentro das novidades e tendências de consumo, a novidade se refere à queda na venda de saltos altos. Nos Estados Unidos, segundo pesquisa feita pelo NPD Group, as vendas de sapatos de salto alto caíram 12% nos últimos dois anos. Enquanto isso, os modelos “pés no chão” cresceram 13%. No Brasil, segundo o WGSN, empresa especializada em tendência de mercado, os modelos sem salto já representam 41% de todo o setor.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MEXERICO