Ian McKellen apoia boicote ao Oscar: mulheres e LGBT também são excluídos

Ausência de negros entre os artistas indicados é motivo mais que suficiente para um abalo na indústria de Hollywood, acredita o intérprete de Magneto

por AFP 25/01/2016 17:47

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
O britânico Ian McKellen, intérprete de Gandalf na trilogia O Senhor dos Anéis, expressou "solidariedade" para com aqueles que têm criticado a falta de diversidade no Oscar e na indústria cinematográfica em geral. "A maneira como os atores negros se sentem subrepresentados no cinema é o que mulheres sentiram por muito tempo e o que homossexuais como eu ainda sentem", declarou o ator de 76 anos. Ian é cofundador da Stonewall, um grupo militante pelos direitos de lésbicas, gays, bissexuais, transexuais e outras minorias sexuais.
AFP PHOTO / CHARLY TRIBALLEAU
Ator compara reivindicações dos artistas negros às pautas defendidas por outras minorias: ''O Oscar está no centro dessas reivindicações que são legítimas e nas quais estou envolvido'' (foto: AFP PHOTO / CHARLY TRIBALLEAU )
A Academia está no centro de uma polêmica e vem sendo pressionada a agir desde que revelou pelo segundo ano consecutivo uma seleção de 20 atores exclusivamente brancos como indicados ao Oscar.

Muitas personalidades do cinema decidiram boicotar a cerimônia de premiação, que ocorre em 28 de fevereiro, incluindo o diretor Spike Lee e os atores Will Smith e sua esposa Jada Pinkett-Smith.

"É preciso viver em Hollywood, onde o Oscar significa muito mais para as pessoas do que em qualquer outro lugar, para compreender a emoção suscitada", ressaltou Ian McKellen durante um evento sobre Shakespeare em Londres.

"O Oscar está no centro dessas reivindicações que são legítimas e nas quais estou envolvido", acrescentou.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MEXERICO