Não foi a depressão que matou Robin Williams, garante viúva do ator

Em primeira entrevista desde morte do marido, Susan Williams revela que o astro sofria da demência de corpos de Lewy, que causa alucinações e alterações de humor

por Correio Braziliense 03/11/2015 19:36

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

REUTERS/Eric Thayer
Robin Williams suicidou-se em 11 de agosto do ano passado. Viúva atribui a tragédia a um tipo pouco conhecido de demência e se baseia em diagnóstico realizado após morte do marido (foto: REUTERS/Eric Thayer)
Na primeira entrevista desde a morte do ator Robin Williams, a viúva Susan Williams revelou ao programa Good morning America que o astro não estava deprimido, mas sofria de uma doença cerebral degenerativa. "Foi a demência de corpos de Lewy que matou Robin", afirmou. "Foi ela que tirou a vida do meu marido."

 

Relembre a carreira de Robin Williams em fotos

 

AFP PHOTO / Files / Frederic J. BROWN
Susan concedeu nesta terça-feira, 3, sua primeira entrevista desde a morte de Robin Williams (foto: AFP PHOTO / Files / Frederic J. BROWN )
Um relatório feito por um médico após a morte apontou que o ator era vítima de demência de corpos de Lewy, doença neurodegenerativa que causa alterações violentas de humor, alucinações e perda das habilidadades motoras.

 

Apesar de não saber o que estava causando os sintomas, Williams havia marcado uma série de exames neurocognitivos na semana anterior à sua morte.

Susan conta que assistiu ao marido "desintegrando-se" perante seus olhos devido a uma doença desconhecida, vítima de sintomas de depressão, paranóia e ansiedade. A doença teria matado o ator em três anos. Susan afirma que não culpa o marido por ter tirado a própria vida.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MEXERICO