Netflix anuncia produção de primeira série original brasileira

Produção é baseada em websérie de 2011 que trata de um futuro onde a sociedade é dividida entre um lado bom e um ruim

05/08/2015 10:14

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

3%/Divulgação
Produção brasileira de 2011, lançada no YouTube, vai ganhar mais capítulos produzidos pelo Netflix (foto: 3%/Divulgação)
O Netflix anunciou nessa quarta-feira a produção da primeira série original brasileira do serviço. A escolhida foi a websérie de ficção '3%' (2011), de Pedro Aguilera. A versão da Netflix vai ser dirigida por Cesar Charlone.

Originalmente lançada no YouTube, a série, com três episódios, conta a história de um futuro distópico onde a sociedade é dividida em dois lados, o 'lado de cá', atrasado e subdesenvolvido, e o 'lado de lá', próspero e avançado. Os jovens tem apenas uma possibilidade em toda a vida de mudar de lado, através de um processo seletivo rigoroso onde 3% dos inscritos são aprovados.

 

Netflix anunciou produção nesta quarta-feira em vídeo postado em suas redes sociais:

 

 

 

Produzida pela Boutique Filmes em 2011, a série '3%' teve um orçamento de mais de R$ 4 milhões aprovado no ano passado pela Ancine, Agência Nacional do Cinema, para a produção de mais episódios com maior duração. O anúncio da parceria entre os produtores da série e o Netflix foi anunciado pelo próprio serviço de streaming em suas redes sociais através de um vídeo.

Sobre o conteúdo da série, o Netflix adiantou que a história de '3%' será a mesma da produção de 2011. A direção vai ficar a cargo do uruguaio Cesar Charlone, mais conhecido pelos seus trabalhos como diretor de fotografia de filmes como 'Cidade de Deus' e 'Ensaio sobre a cegueira'. A produção vai ser protagonizada pela atriz Bianca Comparato e o ator João Miguel. Além disso, '3%' será filmada em tecnologia 4k e os episódios, com estreia para 2016, vão ser lançados de uma vez no Netflix.

 

Para quem se interessou, confira a produção completa publicada em 2011 no YouTube:

 

 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MEXERICO